Confissão da Palavra

A confissão da Palavra é poderosa para resolver qualquer situação. Contudo, as pessoas só recorrem a Ela como última opção para os casos impossíveis e mesmo assim às vezes não vêem resultados — porque desistem antes de atingirem a fé necessária para receber o milagre. Deus se importa com todas as situações de nossa vida, mas só pode agir quando cremos no que Ele diz.

(autor: pr. Dave Roberson)

Image

Anúncios

“Vosso Pai sabe”

“Eu sei, ó Senhor, que não cabe ao homem determinar o seu caminho. Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes.” (Jeremias 10.23; Tiago 1.17)

Durante toda a noite, dezenas de pessoas procuraram Clemente, um menino de 8 anos que se perdera numa montanha coberta de neve. Ao amanhecer, dois helicópteros reforçaram as buscas. Rapidamente os pilotos localizaram marcas de esqui. Por terra, uma equipe seguiu as marcas que se tornaram rastros de pequenos passos. Estes os levaram a uma árvore onde,, em meio à espessa ramada, o menino foi encontrado são e salvo.

Por rádio, o responsável  pelo resgate anunciou: “Clemente está a salvo! Na verdade, neste momento ele parece melhor que nós.” O garoto se saiu tão bem porque seu pai havia lhe explicado o que devia fazer caso algum dia se perdesse. E ele fez exatamente o que o pai lhe ordenara: se protegeu do frio e da neve subindo em uma árvore para se aquecer no abrigo dos ramos.

Clemente nos mostra o que temos de fazer como filhos de um Pai celestial cheio de amor e sabedoria: simplesmente odebecer aos Seus mandamentos. Ele sabe o que é melhor para nós. Neste mundo cheio de vozes confusas e de armadilhas, nossa felicidade e segurança consistem em confiar no imutável amor de Deus. A Escritura afirma que não é possível que nós mesmos dirijamos nossa vida, não temos o controle total sobre o que nos acontece. Só a Palavra de Deus é a luz moral que ilumina nosso caminho, luz “que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Provérbios 4.18).

(Extraído da agenda Boa Semente 2009)


Escutar ou Desligar?

Havendo Deus, antigamente, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo. Portanto, convém-nos atentar, com mais diligência, para as coisas que já temos ouvido, para que, em tempo algum, nos desviemos delas. (Hebreus 1.1-2; 2.1)

Um morador de Boston, com quem o presidente dos Estados Unidos procurava se comunicar por telefone, havia desligado várias vezes sem responder a chamada. Ele não conseguia acreditar que o presidente em pessoa estava querendo falar com ele! Finalmente a telefonista conseguiu convencê-lo e os dois homens puderam conversar.

Alguém muito mais importante que todos os governantes deste mundo ainda está nos chamando. “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir e minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo” (Apocalipse 3.20). Ele não Se impõe, simplesmente chama. Deus, que tem direitos sobre Suas criaturas, quer que todos se rendam a Ele e tenham comunhão íntima com Ele.

“Deus fala uma e duas vezes; porém ninguém atenta para isso… para apartar o homem do seu desígnio” (Jó 33.14,17) e afastá-lo de suas más ações, de seu caminho de perdição e para ensiná-lo a ser feliz. Temos escutado Sua voz insistente e cheia de amor? Deus fala com você por meio da Bíblia, Sua Palavra. Em outros tempos falou por Seus profetas. Depois falou por Jesus, Seu Filho. Hoje Ele está falando por intermédio deste post! Os que não quiserem escutar Sua voz pela graça, terão de ouvir em juízo, porque “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna, mas aquele que não crê no Filho não verá a vida,  mas a ira de Deus sobre ele permanece” (João 3.6).

(Extraído da agenda Boa Semente 2009)

Deus não é religião

[ Comentários para este post no cabeçalho acima ↑ clique onde diz Comments ]

Há uma grande diferença entre praticar uma religião e experimentar um relacionamento com Deus.
Há uma grande diferença entre religião e salvação.
Há muitas religiões, mas só um Deus e um só Evangelho.
Religião vem do homem; Evangelho e salvação são revelações de Deus por meio de Jesus Cristo.
Religião é o ópio do povo; salvação é presente de Deus ao homem perdido.
Religião é história do homem pecador, que precisa fazer alguma coisa para seu deus imaginado. O Evangelho nos diz o que o Deus Santo fez pelo homem pecador.
Religião procura um deus; o Evangelho são as Boas Novas de que Jesus Cristo procura o homem que se encontra em caminho errado. “Porque o Filho do homem veio salvar o que estava perdido” (Mateus 18.11).
A religião dá ênfase em fazer alguma coisa, boas obras; o Evangelho muda o homem por dentro, através da presença do Espírito Santo em seu coração. “… E assim habite Cristo nos vossos corações, pela fé” (Efésios 3.17). “Não sabeis que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1 Coríntios 3.16).
Nenhuma religião tem um Salvador ressuscitado, que dá perdão dos pecados e vida eterna, só Jesus Cristo ressuscitou. Por isso, meu amigo, dirija-se só a Jesus Cristo. Ele é o único que pode perdoar os seus pecados e lhe dar vida nova aqui e vida eterna no porvir. “Crê no Senhor Jesus, e serás salvo” (Atos 16.31). “… E o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1.7).
Receba a Jesus AGORA em seu coração como seu Salvador pessoal.

(Extraído de: Evangelização Pessoal)

Meus comentários:

Esse negócio de postar só uma vez por mês não deu certo, gente, eheh. Tentei, mas não dá. Com o tanto de pensamentos, reflexões e experiências que passo o tempo todo, não tem como ficar num post só.
E foi depois de um turbilhão de análises que achei legal postar esse texto. Sei que já postei outros semelhantes, mas particularmente esse é o que me tem feito pensar mais a respeito do que é verdadeiramente ser de Jesus. Li um email do site Ibiblia.net de autoria de Claudio Crispim que me serviu de base pra expor meus pensamentos abaixo:

Engraçado como a gente – e não me refiro aqui somente às pessoas de fora das Igrejas, por assim dizer, mas também aos que já aceitaram a Jesus e estão dia-a-dia dentro de templos, são assíduos frequentadores dos cultos, congressos, até mesmo estudiosos da Bíblia e pastores, por que não?!, confunde as coisas. Tem dois personagens na Bíblia que são fundamentais pro nosso entendimento dos planos de Deus pra nós: Adão e Jesus. Somos descendentes de Adão e como ele pecou (acho que todos conhecem a história do fruto proibido, então, não preciso resumir aqui né?!), consequentemente, todos os que vieram depois dele, também são automaticamente pecadores (caramba! eu tinha tanta aversão a isso quando era da Seicho-No-Ie… mas graças a Deus o Espírito Santo me tirou as vendas dos olhos espirituais e hoje posso compreender as coisas como elas realmente são; mas isso não vem ao caso, é só um parênteses, ihih). Então, todo o povo que Deus criou vivia no mundo, sujeito as coisas do mundo – que lembre-se: jaz no maligno desde àquela época -. Tá. Daí Deus, que nos ama de um modo que por mais que tentemos não conseguiremos compreender, simplesmente porque somos seres relativos e Ele o único Ser absoluto, resolveu mandar Seu Filho Jesus, que também é Deus – mas isso também é assunto pra outro post – pra nos libertar de todo pecado e termos a oportunidade de voltarmos a ter comunhão com Ele, pela morte vicária de Jesus. Beleza, entendido tudo isso.

Só que, o que a maioria das pessoas pensa, que é o que comentei no início, que a gente confunde, é que pensamos que pra nos tornarmos seguidores de Jesus, do Evangelho (daí surgiu o termo “ser evangélico”), temos de abrir mão de toda nossa vida de antes e passarmos a viver só pra Cristo. Na verdade é isso mesmo, mas o erro (do meu modo de ver as coisas e conforme o que creio, Deus tem me orientado a entender), é que a famosa porta larga que a Bíblia fala e tanta gente evita, eheh, é quando as pessoas estão no mundo e entregues aos prazeres, a sensualidade, são céticas, fazem coisas erradas, por exemplo. As pessoas em geral acham que a porta é larga porque estando no mundo a pessoa não tem dificuldades, problemas e que pra entrar por ela não precisam obedecer a qualquer tipo de condição. E acham, por sua vez, que o caminho estreito tem a ver com proibições, restrições morais, comportamentais e até religiosas. Pensam que para poderem entrar pela porta estreita tem de seguir um monte de preceitos religiosos, cumprir regras ou seguir determinadas filosofias/estilos de vida.

Diante disso aparece uma variedade imensa de religiões, igrejas e denominações. Todo mundo fala que termos de sofrer pra nos purificar/evoluir, fazer penitências pra ficarmos com a barra limpa com Deus, ou então orarmos pra isso, praquilo, recitarmos rezas imensas e cansativas… Somos induzidos a termos um nível X de moralidade, de santidade, de justiça, fazer o bem sem olhar a quem (eu usava muito essa frase em meus emails quando era espírita, kkkkk)… É tanta norma de conduta, maneira de se vestir e se comportar que a gente quase pira. E não pára por aí: em tudo quanto é lugar que freqüentamos, vemos as “qualidades” do ego humano serem exaltadas: Sejamos corajosos, determinados! Devemos nos empenhar mais, sermos disciplinados, resignados, e por aí vai…

Rituais são criados a bel prazer, o formalismo e o legalismo são utilizados como demonstração de uma verdadeira devoção religiosa. Criam-se meios que julgam conforme somos julgados. E forçamos os outros a seguirem o que achamos imprescindível à salvação, orientando as pessoas a se vestirem assim ou assado, a fazerem desse jeito pra orar, a louvar a Deus batendo fortes palmas ou se esguelando pra entoar um cântico gospel das paradas de sucesso, levantando as mãos quando o pastor manda, ajoelhando idem, porque se você não fizer assim, é porque você não tá na unção…

Placa de Igreja não salva ninguém, disso todos sabemos; mas achamos que só a nossa Igreja é que tem a Palavra de Deus nua e crua, sem interferências do homem. E o pior de tudo: achamos que Deus é propriedade dos evangélicos!

Estamos muito apegados à forma! E isso é triste!!! Estamos tão ligados a essas coisinhas pobres que não conseguimos nos livrar da condição real de pecadores que somos (Gl 4.9-10).

Precisei falar isso tudo pra tentar pôr em palavras o que venho sentindo nos últimos tempos:
Cansei de usar máscara de crente!
Cansei de ter um rótulo estampado na minha testa escrito: evangélica!
Cansei de querer me moldar ao que os outros acham que devo ser, ou pensar e agir de acordo com o que a igreja ou as pessoa pensam ser a melhor maneira!
Cansei de fazer as coisas que os outros esperam que eu faça!
Sei que fui eu mesma que permiti chegar a esse ponto, mas Deus me abiu os olhos e me livrou desse religiosismo ridículo que só difama Sua Palavra!

A partir de agora, me recuso a não ser mais eu, conforme os planos de Deus. Me nego a fazer qualquer coisa só pra tapar o buraco que alguém deixou, ou pra substituir alguém que decepcionou fulano, ou então porque tal pessoa acha que eu me daria bem fazendo aquilo…

Não dá mais pra ser crente só de brincadeira, de nome, de fachada… Ou eu vivo o sobrenatural de Deus na minha vida, vejo Seus milagres como nos tempos bíblicos (afinal, Jesus é o mesmo de ontem e será sempre o mesmo) e a verdadeira transformação em minha vida – que é decorrente da obra da cruz, que ressalto aqui: já ta completa! Deus não fez nada pela metade, portanto, se aceitei o sacrifício de Jesus na cruz, já recebi tudo que vem de lá: cura, libertação e muito, muito mais…, ou eu deixo de ir à igreja, porque ir só pra pra cumprir tabela não vou mesmo!

Uma coisa que nunca aceitei na minha vida é a hipocrisia, sempre tive horror a isso. E eu tava me tornando uma hipócrita! Tava ficando uma chata sem tamanho que achava que era melhor que os que ainda não estão salvos, como se eu nunca tivesse estado do lado de lá.

Mas Deus é TÃO bom que me fez passar por umas semanas conflituosas comigo mesma, com minhas crenças, com meus relacionamentos e sentimentos, pra eu poder entender tudo isso!

Portanto, se você pretende aceitar a Jesus como seu Salvador pessoal, como fiz há quase 2 anos, fique sabendo que isso não fará com que você se afaste dos seus amigos e parentes. Você precisa ser a diferença onde estiver, seja no mundo ou no corpo de Cristo (a Igreja). Só não pode sair do foco como eu tava saindo, por favor… Seguir a Cristo requer renúncia sim, mas quem convence não sou eu, nem ninguém, seja pastor, missionário, … Só quem pode te convencer e começar a transformar tua vida de verdade, a tal ponto de você sentir prazer em renunciar às coisas mundanas, é o Espírito Santo.

Você pode dar o primeiro passo – agora mesmo – e ter um verdadeiro relacionamento com Deus, independente de se intitular evangélico ou crente.

No frigir nos ovos, quer saber? Confesso que errei! Mas Deus é misericordioso e me perdoou! E valeu completamente a pena voltar a ouvir Sua voz, e isso é muito além de estar numa igreja ou pertencer à determinada religião. Porque Deus não é nada disso e Jesus é absolutamente maior que qualquer picuinha criada pelos homens. Mas só vou fazer o que sinto no coração de fazer, vou louvá-Lo em espírito e em verdade, em todos os lugares onde estiver, que é isso que Ele espera de mim.

Seja feliz, caro leitor! E não permita que te façam seguir algum nome que não seja o do Senhor Jesus.

[ Comentários para este post no cabeçalho do início desta página clique onde diz Comments; Este outro campo igual abaixo é para comentários do post de março ]

A falsa alegria do carnaval

[ Comentários para este post no cabeçalho acima clique onde diz Comments ]
Vida com Jesus
“O som festivo dos tamborins foi silenciado, o barulho dos que se alegram parou”
( Isaías 24.8 )
O que é uma fantasia?  É tudo aquilo que não corresponde à realidade, fruto da imaginação.  Parecer alegre é bem mais fácil do que ser alegre.  Parecer feliz é infinitamente mais fácil do que ser feliz. Satanás é mestre em ocultar a miséria através da falsa alegria.  A sua principal fantasia é a da alegria.  Fantasiado de alegria atrai milhões, sem revelar o que está oculto.

A alegria é só uma fantasia quando embaixo dela, ocultos, estão o pecado, o desânimo, a miséria de um país que tem seu ensino em frangalhos, a saúde sucateada, o domínio do crime organizado, o tráfico e consumo de drogas, a gravidez adolescente em níveis assustadores, a corrupção em todos os níveis da sociedade, das pequenas cidades às grandes metrópoles.

A alegria é só uma fantasia quando a realidade da quarta-feira de cinzas é difícil de ser suportada.  Volta-se à pobreza, à falta de emprego, de dinheiro, de perspectivas de crescimento pessoal, de falta de moradia digna, de miséria familiar.

Com tantos inimigos aguardando na quarta-feira compensa investir durante um ano inteiro para apenas quatro dias?  Quatro dias compensam os outros trezentos e sessenta e um?   Os inimigos do brasileiro são muitos e são persistentes.  Por estar tão longe o dia da vitória sobre eles parece estranho parar quatro dias para se alegrar.

Na bíblia a alegria muitas vezes está associada à vitória sobre os inimigos.  A vitória de Josafá sobre Moabe e Amom foi um desses momentos onde a alegria era muito grande e justificada:

“Então voltaram todos os homens de Judá e de Jerusalém, e Josafá à frente deles, e tornaram para Jerusalém com alegria; porque o Senhor os alegrara com a vitória sobre os seus inimigos” (II Crônicas 20.27).

Rasgar a fantasia da falsa alegria é mostrar a verdadeira face da sua personalidade, depois de haver tentado dissimulá-la.  Se fosse possível ver o que está debaixo da sua fantasia, ficaria claro que liberar-se das “amarras”, “soltar os demônios”, dar vazão à carne e à vontade própria tem um preço e esse preço é muito alto.  Para muitas pessoas, carnaval é como sair de férias por 4 dias, arcando, porém, com as despesas da viagem durante o resto da vida.  Não serão apenas 10 ou 12 parcelas de pagamento. O preço pago será muito alto e prolongado.  Talvez não valha a pena o “investimento”.

O grande engano que o “folião-chefe” implantou no coração dos homens é que para haver alegria é necessário que haja insensatez, falta de limites.  O conselho da Palavra de Deus sobre isso é totalmente diferente.  A alegria vem pela realização pessoal, pela paz de espírito, pelo conhecimento do Deus Eterno e é permanente; dura todos os dias da sua vida e não apenas 4 dias.

Trocar a justiça pela iniqüidade, como pretexto para alegrar-se, é um caminho certo para esperar por cinzas na quarta-feira.  O caminho oferecido por Deus é contrário, mas garante um diferencial em relação aos companheiros de bloco:

Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria, mais do que a teus companheirosSalmo 45.7.

(Autoria de Oswaldo Chirov)
Meus Comentários: Eu estava lendo uma reportagem da revista Veja sobre os cantores gospel do Brasil e notei uma coisa que me deixou preocupada. Quando a reportagem fala de artistas católicos que também se apresentam em festas profanas, vi um perigo MUITO grande aí. Porque ao meu ver, não adianta absolutamente nada você estar enfiado na igreja de fim de semana ou aos domingos, ou a semana toda e continuar com um pé em Deus (igreja) e outro no diabo (mundo). Ou você segue a Cristo (e seguir a Jesus não é seguir alguma religião, que fique claro isso porque muita gente confunde; uma vida como discípulo de Jesus é relacionamento; só que só dá pra se ter um relacionamento com Jesus se você conhecer a Verdade que liberta e não tem como permanecer livre se você anda em desacordo com a Palavra do próprio Deus orando pra outros seres, pessoas mortas…) ou você não segue. Não tem meio termo pra isso. Inclusive o apóstolo Paulo escreveu que não é possível esconder a verdade e a justiça, nem continuar comendo na mesa de Deus e na do diabo. As pessoas tem de tomar uma decisão e realmente viver uma vida pra Deus. E isso não se dá somente nos dias de missa ou culto, mas em todos os nossos dias. A gente que aceitou a Jesus como único Senhor e suficiente Salvador ainda vive no mundo, mas não somos mais do mundo. Não dá pra misturar; assim como a água e o óleo não se misturam, não dá pra você aproveitar esses dias de carnaval se esbaldando em tudo quando é tipo de pecado, de exagero, e depois ir na Igreja na quarta-feira tomar as cinzas. Deus perdoa é claro, mas pecar em sã consciência é muito abuso da boa vontade de Deus eu acho. E não é só no carnaval, é nos outros dias do ano que devemos procurar ter uma vida santificada. Eu gosto muito daquele trabalho que a Canção Nova faz, o PHN: se não me engano quer dizer Por Hoje Não vou pecar. Gente, isso é maravilhoso porque é assim que tem de ser, é disso que a Bíblia fala! Não estou aqui falando mal dos católicos, até porque fui uma praticante por muitos anos e aprendi muito lá sobre Jesus (porque particularmente nunca fui fã de pedir nada pra santos ou pra Maria; sempre a respeitei como a mãe de Jesus, mas nunca a entronizei como alguém sobrenatural ou que possa intereceder por mim, assim como nunca fui devota de qualquer santo). As pessoas não terão mudanças significativas em sua vida se continuarem com um pé em cada barco. Uma hora eles irão pra lados ainda mais opostos e você vai cair no meio do mar! Ou se aceita a Jesus e toda a transformação que Ele fará em sua vida que tornará você extremamente feliz, realizado e com uma paz de espírito jamais vista, ou você continua esperando a melhor hora pra tomar essa decisão; ou então achando que tá bom assim, afinal, você erra, mas depois pede perdão e tá tudo resolvido. Não é assim que funciona, até porque vai que Jesus volte exatamente num momento em que você esteja lá no meio do pecado, hein?! E daí? Daí que você já era, meu caro! Como diz a Bíblia Sagrada em Mateus 25.13: “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir.Então, que tal agora você tomar a decisão mais importante da sua vida e entregar sua vida e seu coração à Jesus?! Se você tem coragem de tomar essa decisão, faça essa oração:
“Senhor Jesus, eu Te recebo agora como meu único Senhor e suficiente Salvador. Apaga meus pecados e joga-os no mar do esquecimento, escreve meu nome no livro da vida. Em Teu nome eu oro, Amém.”
Se você fez essa oração com todo seu coração, sugiro que procure uma Igreja Protestante perto de sua casa, onde se ensine e pratique a Bíblia. E caso tenha qualquer dúvida, naquilo que eu puder ajudar você a se edificar, conte comigo 🙂

[ Comentários para este post no cabeçalho do início desta página clique onde diz Comments; Este outro campo igual abaixo é para comentários do post de janeiro ]

As demoras de Deus não são recusas

Esperei no SenhorDeus responde à oração, mas nem sempre como queremos. Ele raramente está com pressa, como é evidente na Sua criação: leva-lhe tempo para fazer um bebê, uma flor, uma árvore, um pôr-do-sol ou até mesmo uma graminha. Não podemos apressar Deus. É preciso esperar até que chegue o momento determinado por Deus. Às vezes Deus demora para responder à oração e espera até termos aprendido a lição que Ele está querendo nos ensinar, ou talvez esteja esperando que as condições estejam prontas para o resultado que Ele quer obter. Como por exemplo aquele homem na Bíblia, que era cego de nascença. Ele teve que ser cego toda a sua vida, para que todo o mundo soubesse e para que quando Jesus passasse por lá um dia e o curasse maravilhosamente, Deus fosse glorificado. (Veja João 9)

Às vezes pode levar anos para você saber por que Deus não respondeu à oração como você pensava que Ele deveria responder, ou logo quando lhe pediu, mas o dia chegará e você saberá que Deus tinha razão! Espere no Senhor!

A maior escuridão é exatamente antes do amanhecer; o momento mais desesperador é exatamente antes da Salvação! O maior desalento ataca exatamente antes de vir o auxílio. Então não duvide, nem por um momento, que Deus vai responder, e Ele responderá! Confie n’Ele! E agradeça-Lhe a resposta, mesmo que não a veja imediatamente! Amanhã você se sentirá feliz por ter confiado n’Ele!

Baruch Há Shem!
Bendito seja o Nome!

(Autora da Mensagem: Manu Giroux – http://www.mulherdedeus.com.br)