O nascimento de Cristo

“E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!” (Lucas 21.13-14)

Entre os cristãos, a história do nascimento de Cristo relatado no Evangelho de Lucas certamente é a mais conhecida da Bíblia. É o tema de inúmeros cânticos religiosos, imagens e representações. Portanto, corremos o risco de perder de vista o profundo significado dessa narração e o extraordinário nesse acontecimento.

Na pequena cidade de Belém aconteceu o inconcebível para nós: o Filho de Deus se tornou homem. Deus Se revelou na pessoa de Seu Filho Jesus Cristo! A “plenitude dos tempos” havia chegado e “Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei” (Gálatas 4.4). Foi o sinal para que uma grande quantidade de anjos rompesse em louvor, do qual ressaltamos a expressão: “Boa vontade para com os homens!”.

A multidão de hostes celestiais reconhece que Deus “não socorre anjos, mas socorre a descendência de Abraão” (Hebreus 2.16). Os homens, que desonraram a Deus desde o pecado original, menosprezaram Seus mandamentos e se obstinaram em fazer a própria vontade, no entanto, o homem perdido era o objeto dos pensamentos Divinos.

O Filho de Deus não tomou a forma de um anjo, mas de um verdadeiro ser humano, para salvar por meio de Seu sacrifício na cruz toda a humanidade caída e separada de Deus. Deus poderia dar maior prova de “boa vontade para com os homens”?

(Extraído da agenda Boa Semente 2009)

Um P.S. da Silvinha:

Existem muitas coisas na vida que precisamos aprender, mas há 4 coisas que são importantíssimas e que Deus quer que você saiba. São elas:

1) Deus te ama e tem um plano maravilhoso para a tua vida.
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16)

2) O pecado que praticamos nos separa de Deus.
A Bíblia diz: “O salário do pecado é a morte…”  O pecado somente pode oferecer ao ser humano uma satisfação ilusória e temporária, mas seu fim é de derrota, decepção e morte espiritual. Morte espiritual é separação de Deus, mas Deus, sendo tão rico em amor, planejou um meio de restaurar o relacionamento do homem com o Criador.

3) Jesus Cristo é a solução de Deus para o homem pecador.
Ele é a “ponte” que nos une a Deus. Disse Jesus: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim”.

4) Você precisa fazer um convite para Jesus entrar e reinar em sua vida.
É necessário receber a Jesus Cristo como único Senhor e Salvador. Você pode fazer isto agora mesmo, fazendo a seguinte oração:
“Senhor Jesus, reconheço que preciso de Ti e agora Te recebo como o único Senhor e  suficiente Salvador da minha vida. Perdoa os meus pecados e guia-me na Tua Vontade. Em o nome do Senhor Jesus. Amém e Graças a Deus.”

Caso você tenha feito esta oração com todo seu coração e fé, saiba que não estou falando de religião, mas de um relacionamento que você passará a ter diretamente com Cristo, sem necessidade alguma de outros intermediários, o que aliás, a Bíblia condena! Estou à sua disposição para ajudar naquilo que for possível. Terei um imenso prazer em ajudá-lo(a) no crescimento de sua vida cristã, assim como tenho sido ajudada.
Recomendo que procure perto de sua casa uma igreja protestante onde a Bíblia é pregada e ensinada (recomendo os sites a seguir, onde você poderá procurar uma Igreja em sua cidade: http://www.ouvirecrer.com.br e http://www.fazendodiscipulos.com.br), que se reúna num salão ou numa casa, isso não importa, pois só assim você poderá conhecer os planos do Senhor pra sua vida e então vivê-los. E posso adiantar que os sonhos dEle para os seus filhos (que são aqueles que não só aceitaram a Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas, mas entregaram suas vidas à Ele, para que Ele possa agir, buscando irmãos que professem a mesma fé e que serão verdadeiramente seus irmãos) são os melhores possíveis. Sou exemplo disso: aceitei a Jesus de todo meu coração e passei a frequentar uma Igreja protestante. Não virei carola nem fiquei bitolada e não estou dizendo pra vocês viverem enfiados na igreja templo (afinal, agora você se tornou a verdadeira Igreja de Cristo), mas apenas que dêem o primeiro passo; vão num domingo, os cultos dominicais são sempre muito bons e Deus fala aos corações. O amor de Deus tem preenchido minha vida e a paz do Senhor Jesus tem consertado tudo em mim que precisava ser arrumado e tem me ensinado a ser de verdade, feliz. E é essa mesma felicidade que desejo à vocês,. Busquem ao Senhor enquanto há tempo. Entreguem-se de corpo e alma que o Espírito Santo fará o resto. Mas o primeiro passo depende apenas de você! Dê-se essa chance – a única que é real – de ter sua vida transformada, porque pra Deus nada é impossível!

A BRUXIFICAÇÃO DO NATAL

PRIMEIRA MENSAGEM:

Caio Fábio, bom dia!

Tenho uma dúvida muito grande, com relação ao Natal, São Nicolau, dia 25 de Dezembro, deus Sol, o símbolo da árvore de Natal e a guirlanda.
Como posso saber sobre isso ou ter uma explicação para cada uma destas coisas?
Tudo está uma confusão em minha cabeça.
Me ajude.
Obrigada!

Resposta:

Minha amada irmã: Feliz Natal e Feliz Ano Novo!

Minha querida amiga, se você for entrar nessa paranóia, terá que sair do mundo.
Paulo disse que a gente deve ir ao mercado, comer de tudo, dar graça a Deus, e celebrar a vida em paz.

Se você for se preocupar com a origem de coisas, nomes, festas, datas, etc., você terá que sair do mundo.

Não trate isso como coisa do diabo, pois, assim, virará coisa do diabo na sua cabeça…

Não ajuda em nada.

Ninguém que comemora o Natal está pensando no diabo.

As únicas pessoas no Evangelho a quem Jesus chamou diretamente de “filhos do diabo” não estavam vestidas de “Dia de Papai Noel”, mas de FARISEUS (Jo. 8).

Paulo nos ensina a não ter tais conflitos, e a termos paz com uma certeza: Todas as coisas são puras para os puros; porém para os de mente impura, tudo fica impuro.

Sobre o fato das coisas poderem ter origem “pagã”, o espírito do que Paulo declara é o seguinte acerca de algo muito mais sério — que é a comida sacrificada aos ídolos, ou até mesmo comida de um despacho na esquina:

No que diz respeito às coisas sacrificadas aos ídolos, já sabemos, todos, o seu significado.

Saber… apenas saber… incha o ser e nada mais.

Somente o amor edifica.

Desse modo, se alguém tem a pretensão de achar que sabe alguma coisa, de fato ainda não aprendeu como convém saber.

O verdadeiro conhecimento vem do amor, pois se alguém ama a Deus, esse é conhecido por Deus.

Digo isto tudo porque eu sei que todos vocês sabem que comer coisas sacrificadas aos ídolos nada significa. Afinal, sabemos que o ídolo nada é no mundo, e que não há outro Deus, senão um só.

Ainda que haja muitos que se chamem de deuses e senhores, ou que assim sejam chamados — seja no céu seja na terra—, todavia, para nós, há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual existem todas as coisas, e por ele nós também.

Mas isto é o que nós sabemos. Entretanto, nem todos têm esse conhecimento.

Isto digo porque há alguns que, acostumados até agora com a devoção ou temor do ídolo — como se o ídolo de fato tivesse poder —, comem coisas sacrificadas aos ídolos como se o ato de comer expressasse algo espiritualmente significativo.

Desse modo, quando comem, sua consciência sendo ainda fraca e ignorante, contaminam-se em razão do próprio significado que atribuem àquilo que, em si mesmo, não é nada.

As coisas ganham o significado que nossa consciência atribui a elas!

Todavia, não é a comida que nos há de recomendar a Deus; pois não ficamos piores se não comermos, nem ficamos melhores se comermos.

Portanto, não estamos falando do que é em si, mas daquilo que as coisas se tornam, em razão da projeção de valor a elas atribuído.

Desse modo, vejam atentamente que a liberdade de vocês — fruto do saber verdadeiro —, não venha a ser motivo de tropeço para os fracos, ou seja: para aqueles que ainda olham para a comida sacrificada ao ídolo ou para o próprio ídolo, como se a “coisa” tivesse em si algum valor ou poder.

Assim, se um desses supersticiosos virem você, que tem “ciência”, reclinado tranqüilamente comendo à volta de uma mesa num templo de um ídolo, poderá pensar que você está ali atribuindo culto e valor àquilo que para você não tem nenhum valor.

E assim, poderá ser induzido pela sua liberdade, a comer com a consciência fraca e supersticiosa as coisas sacrificadas aos ídolos… como se a sua presença ali avalizasse também o ato dele.

Não é, porventura, assim, que “eles” interpretariam sua presença no lugar?

Desse modo, ironicamente, pelo saber e pela liberdade que você já adquiriu, alguém que ainda está na ignorância pode vir a sucumbir à superstição.

Assim, por causa da “ciência” que você possui, alguém poderá perecer… aquele que é fraco, o teu irmão por quem Cristo morreu!

Ora, pecando assim contra os irmãos, e ferindo-lhes a consciência ainda débil e fraca, vocês estão pecando contra Cristo.
Dessa forma, o que se deve saber é o seguinte:

O ídolo não é nada para você, em razão de você já saber que ele não é nada mesmo.
Sozinho – ou em companhia de pessoas maduras – você comer onde e o quê bem desejar!
No entanto, se a comida fizer tropeçar a meu irmão, nunca mais comerei em sua presença nada que o faça tropeçar, isto porque não quero servir de tropeço à consciência fraca de meus irmãos… que ainda não discerniram a grandeza da liberdade que em Cristo eu tenho.

De minha parte, não quero jamais induzir meu irmão ao engano simplesmente por não carregar em mim uma consciência que antes de tudo saiba saber no amor.
Jesus disse que o mal não vem de fora, vem de dentro.
Fico “raivoso” é com quem veio inventar mais esse grilo para a sua cabeça.
Tais pessoas gostam que a vida seja um perigo, e vêem o diabo em tudo.
A mente delas está cheia de medos, e tentam fazer discípulos de seu próprio medo, e superstições.
Não entre nessa. Se entrar, sua cabeça ficará uma confusão cada vez maior.
Fuja dos inventores de demônios e de bruxas!
Eles vivem de proibir as coisas, e quem os segue acabará preso no medo, e não terá mais prazer em nada na vida.
Celebre seu Natal em Cristo!
A árvore é uma gracinha e o Papai Noel é um folclore infantil.
Desejar fazer dele um demônio é GOSTAR DE SOFRER À TOA!
A vida já é difícil demais. Não a complique.

Não se preocupe com a Árvore de Natal.
Quem tem a Árvore da Vida na alma não se preocupa mais com qualquer outra árvore, nem com a plantinha “comigo-ninguém-pode”.
Assumo responsabilidade espiritual pelo que estou dizendo a você!
Foi para liberdade que Cristo nos libertou.
Santifique todos os dias com gratidão, e todos os dias serão santos.
Feliz Natal para você e todos os seus.

Nele, que nos salvou para viver em paz em qualquer dia do ano,

Caio


SEGUNDA MENSAGEM:

Muito obrigada por sua ajuda.
É que no culto foi falado sobre o Natal e que na verdade isso não se deve ser comemorado, pois é uma festa “pagã”.
Como estou freqüentando a igreja evangélica, estou tendo estes tipos de questões, que no catolicismo eram muito simples.
Como o da árvore, fiquei aflita, pois fiz uma árvore pequena e bela, mas sempre no dia 25 oro por Jesus Cristo, mesmo sabendo e pedindo desculpas por não saber a data certa de seu nascimento.
Na igreja foi falado que nesta data se comemora o aniversário de Nefraim (se não me engano, que se casou com sua própria mãe e fundou a Torre de Babel), e que onde ele foi enterrado nasceu uma árvore e dela simbolizou o Natal, morte e reencarnação.
Fiquei em parafusos… sei que no dia 25 de dezembro devemos nos recolher em casa e meditar de como Jesus foi bom para nós e tem sido em todos os dias de nossas vidas.
Fico triste por não entender as coisas, e também de outras pessoas explicarem as coisas de uma forma que nos causa incômodo, e que por isso venho em busca da verdade.
Muito obrigada mais uma vez.
Um abraço.

Resposta:

Minha querida irmã: Paz e o Fruto da Árvore da Vida para você!
Sei que você está chegando agora, e que encontrará um monte de maluquices pela frente.
Não se escandalize e nem se impressione.

Ame a Jesus de todo o seu coração.

Creia Nele e ponha Nele sua mais absoluta confiança.
Ele morreu e ressuscitou para que tivéssemos Vida em Abundância, não para que vivêssemos atormentados.
Faça tudo com boa consciência e ações de Graça, pois é isto que torna tudo puro.
As coisas são más para quem as vê mal.
O que é mal, a gente sempre sabe o que é; não depende de uma “informação histórica”.
Essa história da Árvore de Natal e a Torre de Babel é conto de bruxinha.
É mais fácil crer em Papai Noel!
Não tem fundamento em nada. É pura invenção.
Leia os Evangelhos.
Encha seu coração com a Palavra.
E confira tudo com uma simples questão: Como foi que Jesus tratou essa questão e as pessoas envolvidas em cada coisa?
Se você fizer essa pergunta, e estiver sempre lendo o Evangelho, você entenderá tudo, sem dificuldade, pois está lá revelado, e o Espírito Santo iluminará você.
Tenha Paz!

Nele, que em Si mesmo nos deu do Fruto da Árvore da Vida,

Caio

(Extraído do site do Caio Fabio)

Natal: FESTA PAGÃ ou CRISTÃ?

[ Comentários para este post no cabeçalho acima – clique onde diz Comments ]

10 Razões porque os evangélicos não devem celebrar o natal

1º) Porque a Bíblia não manda celebrar o nascimento.

2º) Porque Jesus não nasceu em 25 de Dezembro. Esta data foi designada por Roma numa aliança pagã no século IV. A primeira intenção era cristianizar o paganismo e paganizar o Cristianismo, de acordo com o calendário Judaico Jesus nasceu em Setembro ou Outubro.

3º) A igreja do Senhor está vivendo a época profética da festa dos tabernáculos, que significa a preparação do caminho do Senhor e, se você prepara o caminho para Ele nascer, não prepara para Ele voltar.

4º) O natal é uma festa que centraliza a visão do palpável e esquece do que é espiritual. Para Jesus o mais importante é o Reino de Deus que não é comida nem bebida, mas justiça e paz no espírito.

5º) Porque o natal se tomou um culto comercial que visa render muito dinheiro. Tirar dos pobres e engordar os ricos. É uma festa de ilusão onde muitos se desesperam porque não podem comprar um presentinho para os filhos.

6º) Porque esta festividade está baseada em culto à falsos deuses nascidos na Babilônia. Então, se recebemos o Natal pela Igreja Católica Romana, e esta por sua vez recebeu do paganismo, de onde receberam os pagãos? Qual é a origem verdadeira?

O Natal é a principal tradição do sistema corrupto, denunciado inteiramente nas profecias e instruções bíblicas sob o nome de Babilônia. Seu início e origem surgiu na antiga Babilônia de Ninrode! É verdade, suas raízes datam de épocas imediatamente posteriores ao dilúvio!

Ninrode, neto de Cão, filho de Noé, foi o verdadeiro ‘ fundador do sistema babilônico que até hoje domina o mundo – Sistema de Competição Organizado – de impérios e governos pelo homem, baseado no sistema econômico de competição e de lucro. Ninrode construiu a Torre de Babel, a Babilônia primitiva, a antiga Nínive e muitas outras cidades. Ele organizou o primeiro reino deste mundo. O nome Ninrode, em Hebraico, deriva de “Marad” que significa “ele se rebelou, rebelde”.

Sabe-se bastante de muitos documentos antigos que falam deste indivíduo que se afastou de Deus. O homem que começou a grande apostasia profana e bem organizada, que tem dominado o mundo até hoje. Ninrode era tão perverso que se diz que casou-se com sua mãe, cujo nome era Semíramis. Depois de sua morte prematura, sua mãe-esposa propagou a doutrina maligna da sobrevivência de Ninrode como um ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida.

Todo ano, no dia de seu aniversário de nascimento ela alegava que Ninrode visitava a árvore “sempre viva” e deixava presentes nela. O dia de aniversário de Ninrode era 25 de dezembro, esta é a verdadeira origem da “Árvore de Natal”!

Por meio de suas artimanhas e de sua astúcia, Semíramis converteu-se na “Rainha do Céu” dos Babilônicos, e Ninrode sob vários nomes, converteu-se no “Divino Filho do Céu”. Por gerações neste culto idólatra. Ninrode passou a ser o falso Messias, filho de Baal: o deus-Sol. Nesse falso sistema babilônico, “a mãe e a criança” ou a “Virgem e o menino” (isto é, Semíramis e Ninrode revivivo), transformaram-se em objetos principais de adoração. Esta veneração da “virgem e o menino” espalhou-se pelo mundo afora; o presépio é uma continuação do mesmo, em nossos dias, mudando de nome em cada país e língua. No Egito chamava-se lsis e Osiris, na Ásia Cibele e Deois, na Roma pagã Fortuna e Júpiter, até mesmo na Grécia, China, Japão e Tibete encontra-se o equivalente da Madona (minha dona ou minha senhora), muito antes do nascimento de Jesus Cristo!

7º) Esta festa não glorifica a Jesus pois quem a inventou foi a igreja católica romana, que celebra o natal diante do ídolos (estátuas). Jesus é contra a idolatria e não recebe Adoração dividida.

8º) Porque os adereços (enfeites) de natal são verdadeiros altares de deuses da mitologia antiga (que são demônios).

Árvore de Natal – é um ponto de contato que os demônios gostam. No ocultismo oriental os espíritos são invocados por meio de uma árvore. “de acordo com a enciclopédia Barsa, a árvore de natal é de origem Germânica, datando o tempo de São Bonifácio, foi adotada para substituir o sacrifício ao carvalho de ODIM, adorando-se uma árvore em homenagem ao Deus menino.” Leia a Bíblia e confira em Jeremias 10.3,4; I Reis 14.22,23; Deuteronômio 12.2,3; II Reis 17.9,10; Isaías 57.4,5; Deuteronômio 16.21 e Oséias 4.13.

As velas acendidas – faz renascer o ritual dos cultos ao deus sol.

As guirlandas – são símbolos da celebração memorial aos deuses, significam um adorno de chamamento e legalidade de entrada de deuses.
A Bíblia nunca anunciou que Jesus pede guirlandas, ou que tenha recebido guirlandas no seu nascimento, porque em Israel já era sabido que fazia parte de um ritual pagão.

O presépio – seus adereços estão relacionados diretamente com os rituais ao deus-sol. É um altar de incentivo à idolatria, é uma visão pagã. A Palavra de Deus nos manda fugir da idolatria (I Coríntios 10.14,15; Gálatas 5.19,21).

Papai Noel – é um ídolo, um santo católico chamado Nicolau, venerado pelos gregos e latinos em dezembro, sua figura moderna é a de um gnomo boxexudo e de barba branca. O gnomo de acordo com o dicionário Aurélio é um demônio da floresta.

Troca de presentes – na mitologia significa eterizar o pacto com os demônios (deuses).

Ceia de Natal – um convite à glutonaria. Nas festas pagãs ao deus-sol o banquete era servido meia-noite.

9º) O natal de Jesus não tem mais nenhum sentido profético pois na verdade todas as profecias que apontavam para sua primeira vinda à terra já se cumpriram. Agora nossa atenção deve se voltar para sua Segunda Vinda.

10º) A festa de natal traz em seu bojo um clima de angústia e tristeza, o que muitos dizem ser saudades de Jesus, mas na verdade é um espírito de opressão que está camuflado, escondido atrás da tradição romana que se infiltrou na igreja evangélica, e que precisamos expulsar em nome de Jesus!

Chega de paganismo em nosso meio, é hora de acabarmos com esta festividade pagã em nossos lares e Igrejas.

Procedimento Prático
Mesmo querendo fazer a vontade de Deus como fiéis discípulos, somos surpreendidos por situações que ficamos chocados e atônitos, que nos trazem até embaraços para acertar nossas vidas erradas com a realidade divina. Contudo, nem tudo está perdido. Temos um Deus que transforma maldição em bênção. Agora não somos mais ignorantes quanto a festividade iniciada na Babilônia. Qual deve ser então nosso procedimento prático?

1 – Tirá-la totalmente do nosso coração. Lançar fora toda dependência sentimental da data do Sol Invictus (25 de dezembro).

2 – Instruirmos nossos filhos e discípulos: “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” João 8.32

3 – Nos livrarmos de todo enfeite com motivos natalinos, pois sabemos suas origens.

4 – Não ficarmos sujeitos financeiramente à comidas importadas típicas. É um dia como qualquer outro.

5 – Resistirmos ao espírito satânico de gastos no Natal, principalmente se ouverem dividas. Vigiar as “ofertas do Papai Noel”. Só devemos comprar o necessário. Mamon, demônio das riquezas, criou dependência na mente humana onde as pessoas têm de estar nas festividades de fim de ano com casa nova, roupa nova etc. “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” Mateus 6.24.

6 – Devemos aproveitar a data (“Andai em sabedoria para com os que estão de fora, usando bem cada oportunidade.” Colossenses 4.5) para estar com parentes e amigos em suas casas; falando da necessidade do nascimento de Jesus em seus corações, pois este é o verdadeiro presente que o “aniversariante” quer receber. É um propício momento evangelístico, quando encontramos pessoas com o coração aberto para ouvir de Jesus.

7 – Entender que a maioria dos crentes não visualiza a situação do Natal, preferindo viver segundo seus sentimentos e tradições.

8 – Não confundir Passagem do Ano com Natal. Não é errado desejar feliz Ano Novo para alguém, mas, sim, Feliz Natal. Podemos usar algumas expressões. Ex.: – Que Jesus nasça no seu coração (ou na sua vida)!

” E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação de vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. ” (Romanos 12.2)

(Fonte aqui)

Para saber ainda mais sobre o assunto, recomendo a página do blog de artigos e estudos bíblicos: “Jesus – O adorado de todas as Nações“)

[ Comentários para este post no cabeçalho do início desta página- clique onde diz Comments; Este outro campo igual abaixo é para comentários do post anterior ]