Discípulos de Jesus ou discípulos da ”igreja”? Faça o teste!

Imagem
Discípulos de Jesus são os que com Ele se identificam como Senhor, como Deus, como amigo e como Pai.
Eles entendem que Jesus veio implantar um Reino que não é “deste mundo”. Eles são capazes de servir e se doar sem um desejo escondido por ganância e promoção.Os discípulos de Jesus não servem só quando o Pastor está olhando. Eles muitas vezes, o fazem em secreto. Mesmo quando são “injustiçados” não proclamam sua causa publicamente. Sabem perdoar mesmo quando a ofensa é grande. Não manipulam passagens bíblicas para sustentar seus desejos maquiavélicos de grandeza e vingança. Não invejam ministérios e nem difamam por falta de argumentos.

Mesmo quando não concordam, sabem amar e separar o pessoal do social. Amam seus inimigos e não prometem retaliação. Discípulos de Jesus são a verdadeira Igreja que não conquistará a “política”, mas conquistará os corações. Esta igreja é perseguida, da mesma forma como os fariseus “religiosos” fizeram com Jesus. Esta, não é a maioria e está presente dentro e fora da Igreja Institucionalizada.

Já os discípulos da “Igreja” são constantemente vistos em brigas e dissensões dentro das suas comunidades da fé. Seu discurso de santidade só serve para o outro, pois sua fala não condiz com o comportamento marcado por inveja e fofoca. Adoram aparecer e se preciso for irão usar táticas carnais para derrubar aqueles que estão no caminho da sua promoção.

Usam o púlpito para indiretas e ofensas. Quando se levantam contra a Igreja de Jesus, geralmente não sucedem. Quando encontram pessoas de ponto de vista diferentes dos seus ou dos seus líderes, rotulam e dificilmente perdoam. Não sabem diferenciar a defesa do Evangelho do julgamento social.

O discurso de ganância é muito atraente para estes, pois seu coração se identifica com tais sentimentos. Eles querem mais desta terra mesmo que sua oferta seja a base da ganância. Usam Deus e seus “princípios” para decretar falência, derrota bem como benção e maldição. Enquanto os líderes desta Igreja enriquecem, o povo se distancia do Evangelho de Jesus.

Nesta Igreja os líderes são carismáticos, gananciosos e políticos (nem sempre politizados). Além disso, se auto declaram patriarcas, sacerdotes, apóstolos e vice representantes de Jesus. Não sabem, contudo que este Jesus deles já se apartou. Estes prevalecerão até que se cumpra a Escritura e a apostasia cresça (dentro da Igreja).

Faça o teste e veja onde você se encaixa!

(Fonte: Gospel +)

Religião e Religiosidade

Image

A religião sempre estraga tudo se deixarmos, pois ela nos tira da escola que formou Jesus Cristo: a escola do Espírito Santo!
A religião é filha da árvore do conhecimento do bem e do mal, quanto mais se alimenta dela, mais decepcionado fica, mais vazio fica…
O ruim da religião é que por causa da nossa alma tendenciosa, ela atrai, mas depois manipula e prende. A pessoa piora ao invés de melhorar!
A vida espiritual assusta o religioso, porque a vida espiritual segue Jesus pra onde Ele for, o religioso segue os comandos da alma e das regras.
O pior religioso é aquele q um dia foi espiritual e hoje ele não tem mais essência, só ficaram as máscaras e aparências, não há mais intimidade!
O primeiro passo pra sair da religiosidade não é sair de igreja nenhuma, é entrar em intimidade com Jesus, é ter vida com Ele de verdade!
Qual a grande diferença do religioso e do homem espiritual? O segundo está sempre livre pra seguir a voz do Espírito, o primeiro não!
Não seja um religioso morto e apenas membro de uma igreja evangélica, aprenda a seguir Jesus dentro de você, ouvindo Sua voz e seguindo-O!!!
O melhor caminho de volta, não importa onde esteja na altura da religiosidade, é sempre voltar ao primeiro Amor, às primeiras obras! INTIMIDADE.
Jesus é Jesus, apenas fique perto dEle e tudo se explica espontaneamente, sem esforço e na hora certa!

pr. Eber Rodrigues

NÃO DEIXE A CONGREGAÇÃO

Imagem

NÃO DEIXE A CONGREGAÇÃO!!!

ESSE VERSO É UM DOS MAIS USADOS PELO SISTEMA PARA MANTER AS PESSOAS PRESAS A ELE.

“Não deixe a vossa congregação”? Congregar é reunir-se! NÃO É FREQUENTAR UMA INSTITUIÇÃO OU EMPRESA!!!! MAS Onde estiver dois ou mais, falando do evangelho ele estará. seja onde for.

JESUS EXCLUIU A NECESSIDADE DO TEMPLO E INSTITUIÇÕES NESSA PASSAGEM!!!
ESTANDO DOIS REUNIDOS NO NOME DELE, ESTÁ FEITO!!

AGORA, A REUNIÃO DOS APÓSTOLOS NADA TEM A VER COM A REUNIÃO DO SISTEMA RELIGIOSO ATUAL.

A congregação (Atos 2.42-47) bem como a nomeação de Pastores foi estabelecida para os iniciantes, meninos na fé, que estavam no leite, pois além de não terem a palavra por escrito, estavam sendo enganados conforme explica Paulo em (Ef. 4.11-14), essa congregação não era para sempre, era temporária, somente até que cheguem a fé viva, deixando assim o seu guia, para “ide e pregai” no mundo como Cristo fez com os apóstolos. Note que foi puramente contextual! A proposta de Cristo é que ninguém fosse mestre de ninguém, que as pessoas se reunissem em casas, ensinassem umas às outras conforme o dom de cada um e ninguém deveria ser nada nesse grupo, exceto de acordo com o dom da graça recebido. Foi assim que a Igreja viveu até o quarto século. De lá para cá se estabeleceu um modelo que o N.T. não conheceu e nem ensinou. Devemos ser nossos próprios pastores e sacerdotes, congregarmos (reunirmos) aonde estiver dois ou mais que seja na esquina, só de falar em Cristo já se abre uma Catedral em volta de Nós, não é necessário uma instituição religiosa para isso, seja o local que for!

RESUMO:
Congregar é reunir-se! Onde estiver dois ou mais, falando do Evangelho abre-se uma catedral ao redor, seja onde for! A congregação de Hebreus (ajuntamento de cristãos) não foi estabelecida para se frequentar o resto de sua vida e sim até se chegar na maturidade da fé depois é ide pregai, a congregação foi para os iniciantes, meninos na fé, quem estava no leite, foi assim até a instalação da palavra escrita, para que não fossem levados por qualquer vento de doutrina (Efésios 4.11-14/1Coríntios 3.1-23. Agora, para quem alcançou a plenitude da fé não há necessidade, o mandamento é ide e pregai, não é ficar se reunindo, escutando o que já sabemos, isso é religioso!

“É ide e pregai”, Marcos 16:15 não ficar no banco de igreja escutando conversa fiada, anunciar o Novo Testamento, pois aqueles que escreveram o N.T. mais propriedade ainda tem para ensinar! Liderança espiritual e congregação foram contextuais e específicas dada as circunstâncias da época. A orientação sempre foi pregar o Evangelho e não dar dinheiro para que outros preguem em seu lugar! Para quem tem a palavra escrita não se enquadra no conceito das Igrejas de Paulo, você não é mais menino na fé, não está mais no leite! Seja seu próprio pastor, seu próprio sacerdote! Em Cristo, aonde estiver dois ou mais, em seu nome, abre se uma catedral!

(Extraído de Ekklesia – Igreja de Cristo)

Jesus – parte 2

Série: ANÁLISE DA DOUTRINA DE CRISTO / Temas: Quem realmente é Jesus Cristo?; Jesus Cristo era Divino e humano;

Jesus Existia antes de todas as coisas, depois Se tornou homem e teve uma vida perfeita e irrepreensível, na qual devemos espelhar a nossa; como homem, fez uma obra grandiosa, incluindo Sua morte por nossos pecados.

Utilizamos os materiais da Igreja e também a apostila ‘Teoria e prática da vida de Cristo’ do ITQ. Falamos sobre Sua ressurreição, exaltação e volta.

At 2.24
A Palavra nos dá diversos pontos a serem observados sobre a ressurreição de Cristo. Alguns deles são:

. A ressurreição de Jesus é a sua vitória sobre a morte (ICo 15.54-57);
A morte não é simplesmente deixar de existir, mas é quando acontece o desligamento entre alma e corpo. Foi necessária a morte física de Jesus enquanto homem encarnado (Lc 24.39-40). Depois de Sua morte, Ele reapareceu aos discípulos algumas vezes, para provar que Sua ressurreição aconteceu por parte do Pai. Mas Seu corpo era transformado, não era mais feito da mesma matéria de até antes de Sua morte e precisava que fosse assim, pois nesse momento Jesus já não estava mais preso ao tempo e espaço com um corpo meramente carnal (Lc 20.20;24-27; Lc 24.31; Jo 20.;19;26).
Ressuscitando fisicamente, o que pra muitos cientistas e espiritualistas isso não é possível, mas com Deus tudo é possível e tem um propósito, Seu corpo voltou a ter ligação com sua alma e espírito. Isso quer dizer que com Sua ressurreição foi possível Ele vencer a morte ( ICo 15.54).

. É pela ressurreição de Cristo que produzimos fé no Senhor (Rm 10.9).
A fé dos discípulos meio que “entrou em parafuso” depois da morte de Jesus, como podemos ver em Jo 20.19;25; Lc 24.21-22). Essa fé foi restabelecida quando Jesus ressurreto apareceu aos discípulos (Jo 20.8;20). Se Ele não tivese ressuscitado, ninguém acreditaria nEle com Filho de Deus (Rm 1.4; At 13.33) nem como juiz universal (At 17.31).

. O fundamento de nossa união com Cristo é a Sua ressurreição.
Nossa fé em Jesus não é somente um pensamento ou uma simples aceitação mental das coisas que lemos sobre Ele. Se formos racionalizar, não há como haver fé, pois a fé não se discerne emocionalmente. E é essa fé nos une a Ele. Paulo diz que toda nossa vida é “em Cristo” 164 vezes. O pecador só é abençoado pela obra de Cristo na cruz quando é unido a Ele, pela fé.

A Igreja, apesar de ser um organismo celestial também é um organismo humano e pra que Jesus fosse O cabeça da Igreja era necessário ser homem eternamente. Por isso a necessidade dEle possuir um corpo humano, de ter nascido como nós através de um parto. Quando o verbo se fez carne e habitou entre nós, Ele não trouxe conSigo a natureza humana, mas adquiriu a de Maria, sua mãe. Jesus descende de Abraão e Davi (MT 1.1); foi um judeu como qualquer outro: respeitava a Lei, foi circuncidado ao 8º dia, sentiu fome, sede, cansaço (MT 8.24;19.28), era limitado em seus conhecimentos (Mc 11.13;13.32), tinha sentimentos e emoções humanas (Mc 10.13-16;6.6;10.21;9.30; Mt11.25-26;26.38;11.20-21; Lc 24.19; Jo12.27;7.1;11.54); foi tentado como qualquer outro homem (Hb 4.15) e dependia de encorajamento do Pai pra suportar Sua humanidade (Mc 1.35; Jo 6.15), exatamente como nós precisamos. Quando foi gerado pelo Espírito Santo no ventre de Maria, Ele deixou de ser abstrato para ser concreto. E o fato dEle ter se tornado humano, além de continuar sendo a segunda pessoa da Trindade, foi que Ele pôde nos salvar. Se não tivesse ocorrido a ressurreição do Seu corpo, Ele teria deixado de ser humano. Hoje Ele é “homem do céu” (ICo 15.47), o Filho do Homem (Ap 1.13) e O cabeça de uma raça  redimida (Ef 1.22-23).

Jesus é central e essencial à fé cristã. O que separa a nossa fé das demais religiões é que todas as demais tiveram um fundador que poderia ter sido outro e baseiam seus ensinos em doutrinas humanas. Mas nenhuma religião é fundamentada numa Pessoa Viva como o cristianismo, pois o cristianismo é o próprio Cristo. E nenhum outro ensino religioso ou filosófico pôde salvar seus criadores do salário do pecado (Rm 6.23); somente Jesus tem esse poder. E se esses ensinos, por mais lógicos que humanamente possam parecer, não foram capazes de salvar seus idealizadores, quanto menos seus seguidores. Esse é mais um ‘detalhe’ a se considerar acerca das religiões existentes, pois foi a ressurreição de Cristo que fez e faz a grande diferença entre a fé cristã e a religião dos homens.

A Ressurreição de Jesus é a base de nossa ressurreição.
Se Jesus não tivesse ressuscitado fisicamente, não haveria como sermos ressuscitado futuramente (Rm 8.11; ITs 4.14). Ele é “a primazia” (ICo 15.20;23; Cl 1.18 ); Seu corpo de glória é o padrão dos nossos corpos no futuro que creio estar breve (Fp 3.20-21; ICo 15.48:49) .

Depois de Sua ressurreição e aparição, Jesus foi Exaltado (Fp 2.9-11).
Os homens do tempo de Jesus, inclusive os sacerdotes, o julgaram como criminoso e o desprezaram por Ele se declarar Deus e igualar-Se à divindade.
Podemos ver em Cristo todos os atributos morais e absolutos que vemos em Deus. Quando Deus fez o homem à Sua imagem e semelhança foi nesse sentido e não fisicamente.
Antes de vir ao mundo, Ele era Deus e não homem. Agora, depois da crucificação e ressurreição física, Ele é recebido e exaltado nos céus como homem e está à direita do Pai! (I Tm 3.16); Jesus é nosso Deus-homem. Ao ser exaltado recebeu de volta toda a glória como Deus (Jo 17.5); tem toda a divindade (Cl 2.9); Ele que antes havia declarado que só Deus poderia ser adorado (Mt 4.10), aceitou nossa adoração (Mt 14.33;15.9; Jo 20.28; Hb 1.6; Ap 5.8-14).

A volta de Jesus (Mt 24.30).
Essa é nossa esperança!
A volta do Senhor foi profetizada:
• Pelos profetas (Zc 14.3-5)
• Por João Batista (Lc 3.3-6)
• Pelo próprio Cristo (Jo 14.2-3)
• Pelos anjos (At 1.11)
• Pelos apóstolos (Tg 5.7; IPe 1.7;13; ITs 4.13-18)

A vinda de Cristo será:
• Pessoal e corporal (Jo 14.3; At 1.10-11)
• Visível (Ap 1.7; IJo 3.2-3)
• Real (ITs 4.16)
• De surpresa (Mt 24.42-44; ITs 5.1-3)

Os motivos pelos quais o Senhor voltará são para:
• Ressuscitar os mortos em Cristo (ITs 4.16; ICo 15.22-23)
• Transformar os vivos a imortalidade (ICo 15.51-53)
• Arrebatá-los p/encontrá-lo nos ares (ITs 4.17)
• Julgar e recompensar os santos (IICo 5:10; ICo 3.12-15)
• Casar com a noiva (Ap 19.7-9;21.2)
• Destruir o anti-cristo (IITs 2.8)
• Julgar as nações (Mt 25.31-33)
• Julgar a todos (IITm 4.1)
• Acorrentar satanás por mil anos (Ap 20.2-3)
• Estabelecer seu reino milenar (Ap 20.4-6)

RESUMO DA SÉRIE:

Todo o Antigo Testamento (AT) trata da preparação para o advento de Cristo. Jesus é, portanto, o cumprimento de todas as profecias e promessas contidas no AT. Jesus não era um homem no céu ou anjo e sim a segunda Pessoa da Trindade Divina que se encarnou com o único propósito de salvar a humanidade – que jazia no pecado desde a sua queda no Jardim do Éden – através de Sua morte na cruz. Mesmo se tornando homem, Ele continuou com os mesmos atributos que Seu Pai tem, pois manteve Sua natureza Divina. Alguns desses atributos são: Absolutos ==> imutabilidade, infinidade, imensidade, onipotência, onipresença, onisciência; Morais ==> amor, fidelidade, justiça, retidão, verdade e santidade. O Filho de Deus foi gerado totalmente de forma sobrenatural, no ventre de Maria, pelo Espírito Santo; já Seu nascimento se deu naturalmente, pois assim como qualquer outros ser humano, Ele foi dotado de um corpo físico, com seus próprios traços genealógicos e passou pelo que passamos: fome, sede, cansaço, sentimentos e emoções diversas. Por ter nascido sob o regume da Lei, foi circuncidado ao 8º dia depois do Seu nascimento e teve uma vida religiosa ativa, como era próprio dos judeus. Foi tentado, mas NUNCA sucumbiu ao pecado, permanecendo Perfeito e Santo, exatamente como Deus quer que voltemos a ser.

(Autoria do resumo: Sílvia Mª Rizzuto Rosa)

A única casa de Deus

“E disse-lhe: Toma estes utensílios, vai e leva-os ao templo que está em Jerusalém, e faze reedificar a casa de Deus, no seu lugar” (Esdras 5.15)

No Antigo Testamento apenas uma única casa foi chamada e casa de Deus: o templo de Jerusalém. No entanto, pela infidelidade do povo, o templo de Salomão foi destruído. Mas com a reconstrução do templo sob o governo de Zorobabel após o retorno do cativeiro babilônico, a Palavra de Deus fala de reedificar a casa “no seu lugar”. Deus reconheceu somente essa casa como Sua: o templo edificado escolhido por Ele mesmo (2 Crônicas 3.1). O Senhor Jesus também recoheceu o edifício, que em Seu tempo era o templo herodiano, como sendo a casa de Seu Pai.

Da mesma maneira, hoje existe somente uma casa de Deus. É a Igreja de Deus, o conjunto total de Seus redimidos, formada desde o Pentecostes. No tempo dos apóstolos, a Bíblia fala sobre os primeiros cristãos: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações” (Atos 2.42). Eles se encontravam para serem ensinados pela Palavra, para a comunhão, para celebrar a lembrança da morte do Senhor, e para orar. Temos feito isso? Se não, devemos ser encorajados pelos piedosos judeus mencionados no livro de Esdras que reedificaram a casa de Deus onde antes ela estava. Onde os cristãos se reúnem como Igreja, como o Novo Testamento nos instrui, há um testemunho visível da casa de Deus aqui no mundo.

(Extraído da Agenda Boa Semente 2010)


Sou cristã, apesar da igreja

[ Comentários para este post no cabeçalho acima clique onde diz Comments – Informo que copiei os comentários referentes à página IEQ, pois a mesma foi excluída. ]

Casa de Deus
Quando recebemos a Jesus como único Senhor e suficiente Salvador, devemos dar o passo seguinte que é buscar uma igreja idônea onde poderemos congregar com pessoas (que deveriam se tornar nossos irmãos, mas nem sempre isso acontece) que professam a mesma fé que nós abraçamos, pois é dessa forma que vamos amadurecer na fé cristã. Na época em que me converti (há 2 anos), visitei várias denominações e cada uma tinha uma coisa em particular que me agradava e outras que nem tanto. Depois de orar pedindo a orientação de Deus, Ele foi muito bom comigo e me levou a ser membro da Igreja do Evangelho Quadragular Sede em Mogi das Cruzes (SP), cidade onde morava. E foi lá que aprendi o que é ser cristã, o que é viver debaixo da graça de Deus.
Aprendi também a amar a igreja de Cristo e entenda-se por igreja o corpo de Cristo, você e eu que somos cristãos. Amo de verdade e respeito cada uma das pessoas abençoadas que Deus colocou em meu caminho, independe delas estarem na mesma igreja que eu ou não. Mas não endeuso ninguém, seja pastor, bispo, apóstolo, levita (ou cantor gospel, como preferir), missionário, diácono, obreiro ou somente um ‘crente de banco’, que não carrega qualquer título.

Deus tem me dado a consciência clara e correta de que devemos adorar somente à Ele e que Ele coloca essas pessoas pra nos guiar em Seu caminho, para aprendermos como ser (ou como não ser também, ihihih), a como desenvolvermos nossa fé; portanto o único que é digno de toda adoração é Ele e ponto final, por mais famoso que fulano seja, por mais seguidores que ciclano possua.

Sempre fui fiel aos meus princípios. Aprendi (relutei mas finalmente cri) que a Verdade está () na Palavra de Deus e é nela que me baseio pra tudo na vida; se por acaso ocorrer da igreja em que estou não estar 100% alicerçada na Palavra, não hesito em deixar a igreja e ficar com a Palavra. Quando não estamos em sintonia com a doutrina da denominação religiosa que frequentamos, temos o direito de procurar outra que seja mais de acordo com nossos ideais espirituais; é o melhor a fazer tanto pra nós mesmos como pra igreja em si. Por isso deixei de ser membro da igreja Quadrangular que frequentei por 10 meses aqui em Minas e resolvi, depois de muita, muita oração mesmo, retornar ao ministério onde nascei em Cristo: Ouvir e Crer. Por mais que amasse a igreja onde estava, a visão sob a qual fui gerada por Deus falou mais alto e mesmo sem estar participando fisicamente de uma igreja (templo) de junho pra cá, me sinto FELIZ e muito bem alimentada (diariamente) através da Bíblia, das palavras abençoadas que leio, ouço e assisto pela web que são desse meu ministério, além do apoio que os pastores me dão sempre que preciso.

O diferencial que há entre as demais religiões, seitas e filosofias e o cristianismo é que este não se baseia numa doutrina, mas numa Pessoa; e acontece uma enorme diferença na vida do ser humano entre se submeter a um conjunto de regras, ritos… à se refugiar em Alguém cujo Amor foi comprovado. Na verdade, nem tem como comparar o que é “seguir uma religião” ao ter um relacionamento íntimo e pessoal com o próprio Deus. Depois de muitas recusas, glória a Deus porque resolvi seguir meu coração e não minha mente carnal e não mudei de religião apenas, mas mudei de vida ao me encontrar com Jesus!

Esse blog visa o evangelismo; mostrar àqueles que ainda não optaram por mudar verdadeiramente de vida os motivos que me levaram a tomar essa decisão, a mais acertada em toda minha vida, sem dúvida alguma! E se diante disso, posso aconselhar algo a alguém, o faço com todo carinho: Não vire evangélico! Não mude de religião apenas! Converta-se à JESUS! A própria palavra já dá o sentido do que haverá contigo: conversão, mudança! Mas só é válida se for pra Cristo, não pra igreja tal, não pra doutrinas de homens… E tem diferença? você pode perguntar. Tem sim! Faz totalmente a diferença porque Jesus não é religião nem está em todas as religiões, como erroneamente se fala pelo mundo afora (tem também aquele outro ditado muito comum: “eu sou feliz, tenho Deus do meu jeito!” mas é a gente que tem de ser do jeito de Deus!!! :-); e placa de igreja não salva ninguém, só Jesus pagou o preço com Sua morte pra que a gente fosse abençoado com a reconciliação com o Pai! Mas pra receber isso você tem de reconhecer que é pecador e estar disposto a aceitar a Cristo como o único Senhor de sua vida e salvador particular!

A religião derruba o homem e o afasta de Deus. É verdade isso, não estou exagerando. Cristo levanta o homem e o traz pra mais perto de Deus! A religião melhora as pessoas, mas o Evangelho as transforma!!! E o Evangelho é uma possibilidade real de vida nova pra todo aquele que acredita e se permite experimentar isso!

Termino com um trecho da música “O Inimigo” do Dj Alpiste, que fala por sí só:

“Meu prazer é ver você destruído
Pois um dia do céu eu fui banido
A Terra agora é meu campo de batalha
Aqui minha mentira se espalha
Pois você é incrédulo e inseguro
Sua fé está sempre em cima do muro
Foi por isso que eu criei a religião
Pra você achar que todo pastor é ladrão
E o dinheiro que o povo dá na igreja
Você gasta bem melhor tomando cerveja
Sou capaz de tudo pra te afastar da luz
Pra que você nunca conheça a Jesus
Nunca aceite Seu sangue derramado
Nunca conheça o perdão do seu pecados
E por toda a vida vai ser sempre cego
Cultivando cada vez mais o seu ego
A menos que um dia conheça a Verdade
Vão chamar você de louco por toda cidade
Pensando bem é melhor ficar comigo
Muito prazer: eu sou seu inimigo.”
[ Comentários para este post no cabeçalho do início desta página clique onde diz Comments; Este outro campo igual abaixo é para comentários do post de julho. – AVISO: Só aprovarei comentários que tenham sido assinados e cujo email seja válido. Quem não se indentifica e ainda coloca uma conta de email que não existe, não merece crédito. ]

A falsa alegria do carnaval

[ Comentários para este post no cabeçalho acima clique onde diz Comments ]
Vida com Jesus
“O som festivo dos tamborins foi silenciado, o barulho dos que se alegram parou”
( Isaías 24.8 )
O que é uma fantasia?  É tudo aquilo que não corresponde à realidade, fruto da imaginação.  Parecer alegre é bem mais fácil do que ser alegre.  Parecer feliz é infinitamente mais fácil do que ser feliz. Satanás é mestre em ocultar a miséria através da falsa alegria.  A sua principal fantasia é a da alegria.  Fantasiado de alegria atrai milhões, sem revelar o que está oculto.

A alegria é só uma fantasia quando embaixo dela, ocultos, estão o pecado, o desânimo, a miséria de um país que tem seu ensino em frangalhos, a saúde sucateada, o domínio do crime organizado, o tráfico e consumo de drogas, a gravidez adolescente em níveis assustadores, a corrupção em todos os níveis da sociedade, das pequenas cidades às grandes metrópoles.

A alegria é só uma fantasia quando a realidade da quarta-feira de cinzas é difícil de ser suportada.  Volta-se à pobreza, à falta de emprego, de dinheiro, de perspectivas de crescimento pessoal, de falta de moradia digna, de miséria familiar.

Com tantos inimigos aguardando na quarta-feira compensa investir durante um ano inteiro para apenas quatro dias?  Quatro dias compensam os outros trezentos e sessenta e um?   Os inimigos do brasileiro são muitos e são persistentes.  Por estar tão longe o dia da vitória sobre eles parece estranho parar quatro dias para se alegrar.

Na bíblia a alegria muitas vezes está associada à vitória sobre os inimigos.  A vitória de Josafá sobre Moabe e Amom foi um desses momentos onde a alegria era muito grande e justificada:

“Então voltaram todos os homens de Judá e de Jerusalém, e Josafá à frente deles, e tornaram para Jerusalém com alegria; porque o Senhor os alegrara com a vitória sobre os seus inimigos” (II Crônicas 20.27).

Rasgar a fantasia da falsa alegria é mostrar a verdadeira face da sua personalidade, depois de haver tentado dissimulá-la.  Se fosse possível ver o que está debaixo da sua fantasia, ficaria claro que liberar-se das “amarras”, “soltar os demônios”, dar vazão à carne e à vontade própria tem um preço e esse preço é muito alto.  Para muitas pessoas, carnaval é como sair de férias por 4 dias, arcando, porém, com as despesas da viagem durante o resto da vida.  Não serão apenas 10 ou 12 parcelas de pagamento. O preço pago será muito alto e prolongado.  Talvez não valha a pena o “investimento”.

O grande engano que o “folião-chefe” implantou no coração dos homens é que para haver alegria é necessário que haja insensatez, falta de limites.  O conselho da Palavra de Deus sobre isso é totalmente diferente.  A alegria vem pela realização pessoal, pela paz de espírito, pelo conhecimento do Deus Eterno e é permanente; dura todos os dias da sua vida e não apenas 4 dias.

Trocar a justiça pela iniqüidade, como pretexto para alegrar-se, é um caminho certo para esperar por cinzas na quarta-feira.  O caminho oferecido por Deus é contrário, mas garante um diferencial em relação aos companheiros de bloco:

Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria, mais do que a teus companheirosSalmo 45.7.

(Autoria de Oswaldo Chirov)
Meus Comentários: Eu estava lendo uma reportagem da revista Veja sobre os cantores gospel do Brasil e notei uma coisa que me deixou preocupada. Quando a reportagem fala de artistas católicos que também se apresentam em festas profanas, vi um perigo MUITO grande aí. Porque ao meu ver, não adianta absolutamente nada você estar enfiado na igreja de fim de semana ou aos domingos, ou a semana toda e continuar com um pé em Deus (igreja) e outro no diabo (mundo). Ou você segue a Cristo (e seguir a Jesus não é seguir alguma religião, que fique claro isso porque muita gente confunde; uma vida como discípulo de Jesus é relacionamento; só que só dá pra se ter um relacionamento com Jesus se você conhecer a Verdade que liberta e não tem como permanecer livre se você anda em desacordo com a Palavra do próprio Deus orando pra outros seres, pessoas mortas…) ou você não segue. Não tem meio termo pra isso. Inclusive o apóstolo Paulo escreveu que não é possível esconder a verdade e a justiça, nem continuar comendo na mesa de Deus e na do diabo. As pessoas tem de tomar uma decisão e realmente viver uma vida pra Deus. E isso não se dá somente nos dias de missa ou culto, mas em todos os nossos dias. A gente que aceitou a Jesus como único Senhor e suficiente Salvador ainda vive no mundo, mas não somos mais do mundo. Não dá pra misturar; assim como a água e o óleo não se misturam, não dá pra você aproveitar esses dias de carnaval se esbaldando em tudo quando é tipo de pecado, de exagero, e depois ir na Igreja na quarta-feira tomar as cinzas. Deus perdoa é claro, mas pecar em sã consciência é muito abuso da boa vontade de Deus eu acho. E não é só no carnaval, é nos outros dias do ano que devemos procurar ter uma vida santificada. Eu gosto muito daquele trabalho que a Canção Nova faz, o PHN: se não me engano quer dizer Por Hoje Não vou pecar. Gente, isso é maravilhoso porque é assim que tem de ser, é disso que a Bíblia fala! Não estou aqui falando mal dos católicos, até porque fui uma praticante por muitos anos e aprendi muito lá sobre Jesus (porque particularmente nunca fui fã de pedir nada pra santos ou pra Maria; sempre a respeitei como a mãe de Jesus, mas nunca a entronizei como alguém sobrenatural ou que possa intereceder por mim, assim como nunca fui devota de qualquer santo). As pessoas não terão mudanças significativas em sua vida se continuarem com um pé em cada barco. Uma hora eles irão pra lados ainda mais opostos e você vai cair no meio do mar! Ou se aceita a Jesus e toda a transformação que Ele fará em sua vida que tornará você extremamente feliz, realizado e com uma paz de espírito jamais vista, ou você continua esperando a melhor hora pra tomar essa decisão; ou então achando que tá bom assim, afinal, você erra, mas depois pede perdão e tá tudo resolvido. Não é assim que funciona, até porque vai que Jesus volte exatamente num momento em que você esteja lá no meio do pecado, hein?! E daí? Daí que você já era, meu caro! Como diz a Bíblia Sagrada em Mateus 25.13: “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir.Então, que tal agora você tomar a decisão mais importante da sua vida e entregar sua vida e seu coração à Jesus?! Se você tem coragem de tomar essa decisão, faça essa oração:
“Senhor Jesus, eu Te recebo agora como meu único Senhor e suficiente Salvador. Apaga meus pecados e joga-os no mar do esquecimento, escreve meu nome no livro da vida. Em Teu nome eu oro, Amém.”
Se você fez essa oração com todo seu coração, sugiro que procure uma Igreja Protestante perto de sua casa, onde se ensine e pratique a Bíblia. E caso tenha qualquer dúvida, naquilo que eu puder ajudar você a se edificar, conte comigo 🙂

[ Comentários para este post no cabeçalho do início desta página clique onde diz Comments; Este outro campo igual abaixo é para comentários do post de janeiro ]

Natal: FESTA PAGÃ ou CRISTÃ?

[ Comentários para este post no cabeçalho acima – clique onde diz Comments ]

10 Razões porque os evangélicos não devem celebrar o natal

1º) Porque a Bíblia não manda celebrar o nascimento.

2º) Porque Jesus não nasceu em 25 de Dezembro. Esta data foi designada por Roma numa aliança pagã no século IV. A primeira intenção era cristianizar o paganismo e paganizar o Cristianismo, de acordo com o calendário Judaico Jesus nasceu em Setembro ou Outubro.

3º) A igreja do Senhor está vivendo a época profética da festa dos tabernáculos, que significa a preparação do caminho do Senhor e, se você prepara o caminho para Ele nascer, não prepara para Ele voltar.

4º) O natal é uma festa que centraliza a visão do palpável e esquece do que é espiritual. Para Jesus o mais importante é o Reino de Deus que não é comida nem bebida, mas justiça e paz no espírito.

5º) Porque o natal se tomou um culto comercial que visa render muito dinheiro. Tirar dos pobres e engordar os ricos. É uma festa de ilusão onde muitos se desesperam porque não podem comprar um presentinho para os filhos.

6º) Porque esta festividade está baseada em culto à falsos deuses nascidos na Babilônia. Então, se recebemos o Natal pela Igreja Católica Romana, e esta por sua vez recebeu do paganismo, de onde receberam os pagãos? Qual é a origem verdadeira?

O Natal é a principal tradição do sistema corrupto, denunciado inteiramente nas profecias e instruções bíblicas sob o nome de Babilônia. Seu início e origem surgiu na antiga Babilônia de Ninrode! É verdade, suas raízes datam de épocas imediatamente posteriores ao dilúvio!

Ninrode, neto de Cão, filho de Noé, foi o verdadeiro ‘ fundador do sistema babilônico que até hoje domina o mundo – Sistema de Competição Organizado – de impérios e governos pelo homem, baseado no sistema econômico de competição e de lucro. Ninrode construiu a Torre de Babel, a Babilônia primitiva, a antiga Nínive e muitas outras cidades. Ele organizou o primeiro reino deste mundo. O nome Ninrode, em Hebraico, deriva de “Marad” que significa “ele se rebelou, rebelde”.

Sabe-se bastante de muitos documentos antigos que falam deste indivíduo que se afastou de Deus. O homem que começou a grande apostasia profana e bem organizada, que tem dominado o mundo até hoje. Ninrode era tão perverso que se diz que casou-se com sua mãe, cujo nome era Semíramis. Depois de sua morte prematura, sua mãe-esposa propagou a doutrina maligna da sobrevivência de Ninrode como um ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida.

Todo ano, no dia de seu aniversário de nascimento ela alegava que Ninrode visitava a árvore “sempre viva” e deixava presentes nela. O dia de aniversário de Ninrode era 25 de dezembro, esta é a verdadeira origem da “Árvore de Natal”!

Por meio de suas artimanhas e de sua astúcia, Semíramis converteu-se na “Rainha do Céu” dos Babilônicos, e Ninrode sob vários nomes, converteu-se no “Divino Filho do Céu”. Por gerações neste culto idólatra. Ninrode passou a ser o falso Messias, filho de Baal: o deus-Sol. Nesse falso sistema babilônico, “a mãe e a criança” ou a “Virgem e o menino” (isto é, Semíramis e Ninrode revivivo), transformaram-se em objetos principais de adoração. Esta veneração da “virgem e o menino” espalhou-se pelo mundo afora; o presépio é uma continuação do mesmo, em nossos dias, mudando de nome em cada país e língua. No Egito chamava-se lsis e Osiris, na Ásia Cibele e Deois, na Roma pagã Fortuna e Júpiter, até mesmo na Grécia, China, Japão e Tibete encontra-se o equivalente da Madona (minha dona ou minha senhora), muito antes do nascimento de Jesus Cristo!

7º) Esta festa não glorifica a Jesus pois quem a inventou foi a igreja católica romana, que celebra o natal diante do ídolos (estátuas). Jesus é contra a idolatria e não recebe Adoração dividida.

8º) Porque os adereços (enfeites) de natal são verdadeiros altares de deuses da mitologia antiga (que são demônios).

Árvore de Natal – é um ponto de contato que os demônios gostam. No ocultismo oriental os espíritos são invocados por meio de uma árvore. “de acordo com a enciclopédia Barsa, a árvore de natal é de origem Germânica, datando o tempo de São Bonifácio, foi adotada para substituir o sacrifício ao carvalho de ODIM, adorando-se uma árvore em homenagem ao Deus menino.” Leia a Bíblia e confira em Jeremias 10.3,4; I Reis 14.22,23; Deuteronômio 12.2,3; II Reis 17.9,10; Isaías 57.4,5; Deuteronômio 16.21 e Oséias 4.13.

As velas acendidas – faz renascer o ritual dos cultos ao deus sol.

As guirlandas – são símbolos da celebração memorial aos deuses, significam um adorno de chamamento e legalidade de entrada de deuses.
A Bíblia nunca anunciou que Jesus pede guirlandas, ou que tenha recebido guirlandas no seu nascimento, porque em Israel já era sabido que fazia parte de um ritual pagão.

O presépio – seus adereços estão relacionados diretamente com os rituais ao deus-sol. É um altar de incentivo à idolatria, é uma visão pagã. A Palavra de Deus nos manda fugir da idolatria (I Coríntios 10.14,15; Gálatas 5.19,21).

Papai Noel – é um ídolo, um santo católico chamado Nicolau, venerado pelos gregos e latinos em dezembro, sua figura moderna é a de um gnomo boxexudo e de barba branca. O gnomo de acordo com o dicionário Aurélio é um demônio da floresta.

Troca de presentes – na mitologia significa eterizar o pacto com os demônios (deuses).

Ceia de Natal – um convite à glutonaria. Nas festas pagãs ao deus-sol o banquete era servido meia-noite.

9º) O natal de Jesus não tem mais nenhum sentido profético pois na verdade todas as profecias que apontavam para sua primeira vinda à terra já se cumpriram. Agora nossa atenção deve se voltar para sua Segunda Vinda.

10º) A festa de natal traz em seu bojo um clima de angústia e tristeza, o que muitos dizem ser saudades de Jesus, mas na verdade é um espírito de opressão que está camuflado, escondido atrás da tradição romana que se infiltrou na igreja evangélica, e que precisamos expulsar em nome de Jesus!

Chega de paganismo em nosso meio, é hora de acabarmos com esta festividade pagã em nossos lares e Igrejas.

Procedimento Prático
Mesmo querendo fazer a vontade de Deus como fiéis discípulos, somos surpreendidos por situações que ficamos chocados e atônitos, que nos trazem até embaraços para acertar nossas vidas erradas com a realidade divina. Contudo, nem tudo está perdido. Temos um Deus que transforma maldição em bênção. Agora não somos mais ignorantes quanto a festividade iniciada na Babilônia. Qual deve ser então nosso procedimento prático?

1 – Tirá-la totalmente do nosso coração. Lançar fora toda dependência sentimental da data do Sol Invictus (25 de dezembro).

2 – Instruirmos nossos filhos e discípulos: “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” João 8.32

3 – Nos livrarmos de todo enfeite com motivos natalinos, pois sabemos suas origens.

4 – Não ficarmos sujeitos financeiramente à comidas importadas típicas. É um dia como qualquer outro.

5 – Resistirmos ao espírito satânico de gastos no Natal, principalmente se ouverem dividas. Vigiar as “ofertas do Papai Noel”. Só devemos comprar o necessário. Mamon, demônio das riquezas, criou dependência na mente humana onde as pessoas têm de estar nas festividades de fim de ano com casa nova, roupa nova etc. “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” Mateus 6.24.

6 – Devemos aproveitar a data (“Andai em sabedoria para com os que estão de fora, usando bem cada oportunidade.” Colossenses 4.5) para estar com parentes e amigos em suas casas; falando da necessidade do nascimento de Jesus em seus corações, pois este é o verdadeiro presente que o “aniversariante” quer receber. É um propício momento evangelístico, quando encontramos pessoas com o coração aberto para ouvir de Jesus.

7 – Entender que a maioria dos crentes não visualiza a situação do Natal, preferindo viver segundo seus sentimentos e tradições.

8 – Não confundir Passagem do Ano com Natal. Não é errado desejar feliz Ano Novo para alguém, mas, sim, Feliz Natal. Podemos usar algumas expressões. Ex.: – Que Jesus nasça no seu coração (ou na sua vida)!

” E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação de vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. ” (Romanos 12.2)

(Fonte aqui)

Para saber ainda mais sobre o assunto, recomendo a página do blog de artigos e estudos bíblicos: “Jesus – O adorado de todas as Nações“)

[ Comentários para este post no cabeçalho do início desta página- clique onde diz Comments; Este outro campo igual abaixo é para comentários do post anterior ]

Crente ou Evangélico?

Não gostaria de criticar, nem mesmo julgar o povo evangélico. Na verdade, gostaria apenas de fazer um resgate das palavras que nós, crentes, usamos durante todos esses anos.Hoje, dificilmente ouço alguém dizer que é crente. Por quê? Parece-me que a palavra “crente” soa como alguém que é muito “bitolado” nas suas relações com a igreja, com a Bíblia e com Deus. Crente é alguém ultrapassado, alguém que não tenha se contemporanizado, alguém que parou em relação ao mundo e não se atualizou. Crente é aquele que não tem muito diálogo, é uma pessoa muito radical. Crente é sinônimo de uma pessoa, como no jargão popular, quadrada. Já observei alguns irmãos que trabalham comigo e muitos irmãos na igreja, ao serem questionados se são crentes, respondem que são evangélicos. Aliás, os meios de comunicação, ao editar matérias sobre igrejas, mencionam como evangélicas.Qual a diferença entre ser crente e ser evangélico? Posso estar errado, mas me parece que ser evangélico é alguém mais agradável, não tão radical, não tão ” bitolado”, enfim, uma pessoa simpática. Mas simpática com o quê? Simpática com as coisas do mundo? Simpática com o pecado? Simpática com outras religiões? Simpática com uma maneira vã de viver?Eu sou crente e tenho prazer em ser crente. Sou crente e tenho prazer em levar minha Bíblia debaixo do braço; eu sou crente e tenho o prazer de dizer que sou separado de muitas coisas do mundo e de chamar tais coisas de pecado; sou crente e tenho o prazer de dizer que amo a Deus e a Jesus; sou crente e tenho o prazer em ir à igreja nos sábados, domingos e durante a semana. Sou crente e tenho o prazer de ver que as pessoas me olham, tanto as não crentes como as evangélicas, de uma forma diferente, ou seja, de alguém que é quadrado, bitolado, desinformado e ultrapassado.Sou crente como meu Senhor Jesus era.

[Autoria de Pr. Rodnei dos Santos – Fonte: http://www.luz.eti.br/cr_crenteouevangelico.html%5D