5 verdades que seu pastor JAMAIS vai te dizer

5 verdades que seu pastor JAMAIS vai te dizer

Anúncios

Discípulos de Jesus ou discípulos da ”igreja”? Faça o teste!

Imagem
Discípulos de Jesus são os que com Ele se identificam como Senhor, como Deus, como amigo e como Pai.
Eles entendem que Jesus veio implantar um Reino que não é “deste mundo”. Eles são capazes de servir e se doar sem um desejo escondido por ganância e promoção.Os discípulos de Jesus não servem só quando o Pastor está olhando. Eles muitas vezes, o fazem em secreto. Mesmo quando são “injustiçados” não proclamam sua causa publicamente. Sabem perdoar mesmo quando a ofensa é grande. Não manipulam passagens bíblicas para sustentar seus desejos maquiavélicos de grandeza e vingança. Não invejam ministérios e nem difamam por falta de argumentos.

Mesmo quando não concordam, sabem amar e separar o pessoal do social. Amam seus inimigos e não prometem retaliação. Discípulos de Jesus são a verdadeira Igreja que não conquistará a “política”, mas conquistará os corações. Esta igreja é perseguida, da mesma forma como os fariseus “religiosos” fizeram com Jesus. Esta, não é a maioria e está presente dentro e fora da Igreja Institucionalizada.

Já os discípulos da “Igreja” são constantemente vistos em brigas e dissensões dentro das suas comunidades da fé. Seu discurso de santidade só serve para o outro, pois sua fala não condiz com o comportamento marcado por inveja e fofoca. Adoram aparecer e se preciso for irão usar táticas carnais para derrubar aqueles que estão no caminho da sua promoção.

Usam o púlpito para indiretas e ofensas. Quando se levantam contra a Igreja de Jesus, geralmente não sucedem. Quando encontram pessoas de ponto de vista diferentes dos seus ou dos seus líderes, rotulam e dificilmente perdoam. Não sabem diferenciar a defesa do Evangelho do julgamento social.

O discurso de ganância é muito atraente para estes, pois seu coração se identifica com tais sentimentos. Eles querem mais desta terra mesmo que sua oferta seja a base da ganância. Usam Deus e seus “princípios” para decretar falência, derrota bem como benção e maldição. Enquanto os líderes desta Igreja enriquecem, o povo se distancia do Evangelho de Jesus.

Nesta Igreja os líderes são carismáticos, gananciosos e políticos (nem sempre politizados). Além disso, se auto declaram patriarcas, sacerdotes, apóstolos e vice representantes de Jesus. Não sabem, contudo que este Jesus deles já se apartou. Estes prevalecerão até que se cumpra a Escritura e a apostasia cresça (dentro da Igreja).

Faça o teste e veja onde você se encaixa!

(Fonte: Gospel +)

Religião e Religiosidade

Image

A religião sempre estraga tudo se deixarmos, pois ela nos tira da escola que formou Jesus Cristo: a escola do Espírito Santo!
A religião é filha da árvore do conhecimento do bem e do mal, quanto mais se alimenta dela, mais decepcionado fica, mais vazio fica…
O ruim da religião é que por causa da nossa alma tendenciosa, ela atrai, mas depois manipula e prende. A pessoa piora ao invés de melhorar!
A vida espiritual assusta o religioso, porque a vida espiritual segue Jesus pra onde Ele for, o religioso segue os comandos da alma e das regras.
O pior religioso é aquele q um dia foi espiritual e hoje ele não tem mais essência, só ficaram as máscaras e aparências, não há mais intimidade!
O primeiro passo pra sair da religiosidade não é sair de igreja nenhuma, é entrar em intimidade com Jesus, é ter vida com Ele de verdade!
Qual a grande diferença do religioso e do homem espiritual? O segundo está sempre livre pra seguir a voz do Espírito, o primeiro não!
Não seja um religioso morto e apenas membro de uma igreja evangélica, aprenda a seguir Jesus dentro de você, ouvindo Sua voz e seguindo-O!!!
O melhor caminho de volta, não importa onde esteja na altura da religiosidade, é sempre voltar ao primeiro Amor, às primeiras obras! INTIMIDADE.
Jesus é Jesus, apenas fique perto dEle e tudo se explica espontaneamente, sem esforço e na hora certa!

pr. Eber Rodrigues

NÃO DEIXE A CONGREGAÇÃO

Imagem

NÃO DEIXE A CONGREGAÇÃO!!!

ESSE VERSO É UM DOS MAIS USADOS PELO SISTEMA PARA MANTER AS PESSOAS PRESAS A ELE.

“Não deixe a vossa congregação”? Congregar é reunir-se! NÃO É FREQUENTAR UMA INSTITUIÇÃO OU EMPRESA!!!! MAS Onde estiver dois ou mais, falando do evangelho ele estará. seja onde for.

JESUS EXCLUIU A NECESSIDADE DO TEMPLO E INSTITUIÇÕES NESSA PASSAGEM!!!
ESTANDO DOIS REUNIDOS NO NOME DELE, ESTÁ FEITO!!

AGORA, A REUNIÃO DOS APÓSTOLOS NADA TEM A VER COM A REUNIÃO DO SISTEMA RELIGIOSO ATUAL.

A congregação (Atos 2.42-47) bem como a nomeação de Pastores foi estabelecida para os iniciantes, meninos na fé, que estavam no leite, pois além de não terem a palavra por escrito, estavam sendo enganados conforme explica Paulo em (Ef. 4.11-14), essa congregação não era para sempre, era temporária, somente até que cheguem a fé viva, deixando assim o seu guia, para “ide e pregai” no mundo como Cristo fez com os apóstolos. Note que foi puramente contextual! A proposta de Cristo é que ninguém fosse mestre de ninguém, que as pessoas se reunissem em casas, ensinassem umas às outras conforme o dom de cada um e ninguém deveria ser nada nesse grupo, exceto de acordo com o dom da graça recebido. Foi assim que a Igreja viveu até o quarto século. De lá para cá se estabeleceu um modelo que o N.T. não conheceu e nem ensinou. Devemos ser nossos próprios pastores e sacerdotes, congregarmos (reunirmos) aonde estiver dois ou mais que seja na esquina, só de falar em Cristo já se abre uma Catedral em volta de Nós, não é necessário uma instituição religiosa para isso, seja o local que for!

RESUMO:
Congregar é reunir-se! Onde estiver dois ou mais, falando do Evangelho abre-se uma catedral ao redor, seja onde for! A congregação de Hebreus (ajuntamento de cristãos) não foi estabelecida para se frequentar o resto de sua vida e sim até se chegar na maturidade da fé depois é ide pregai, a congregação foi para os iniciantes, meninos na fé, quem estava no leite, foi assim até a instalação da palavra escrita, para que não fossem levados por qualquer vento de doutrina (Efésios 4.11-14/1Coríntios 3.1-23. Agora, para quem alcançou a plenitude da fé não há necessidade, o mandamento é ide e pregai, não é ficar se reunindo, escutando o que já sabemos, isso é religioso!

“É ide e pregai”, Marcos 16:15 não ficar no banco de igreja escutando conversa fiada, anunciar o Novo Testamento, pois aqueles que escreveram o N.T. mais propriedade ainda tem para ensinar! Liderança espiritual e congregação foram contextuais e específicas dada as circunstâncias da época. A orientação sempre foi pregar o Evangelho e não dar dinheiro para que outros preguem em seu lugar! Para quem tem a palavra escrita não se enquadra no conceito das Igrejas de Paulo, você não é mais menino na fé, não está mais no leite! Seja seu próprio pastor, seu próprio sacerdote! Em Cristo, aonde estiver dois ou mais, em seu nome, abre se uma catedral!

(Extraído de Ekklesia – Igreja de Cristo)

Jesus – parte 2

Série: ANÁLISE DA DOUTRINA DE CRISTO / Temas: Quem realmente é Jesus Cristo?; Jesus Cristo era Divino e humano;

Jesus Existia antes de todas as coisas, depois Se tornou homem e teve uma vida perfeita e irrepreensível, na qual devemos espelhar a nossa; como homem, fez uma obra grandiosa, incluindo Sua morte por nossos pecados.

Utilizamos os materiais da Igreja e também a apostila ‘Teoria e prática da vida de Cristo’ do ITQ. Falamos sobre Sua ressurreição, exaltação e volta.

At 2.24
A Palavra nos dá diversos pontos a serem observados sobre a ressurreição de Cristo. Alguns deles são:

. A ressurreição de Jesus é a sua vitória sobre a morte (ICo 15.54-57);
A morte não é simplesmente deixar de existir, mas é quando acontece o desligamento entre alma e corpo. Foi necessária a morte física de Jesus enquanto homem encarnado (Lc 24.39-40). Depois de Sua morte, Ele reapareceu aos discípulos algumas vezes, para provar que Sua ressurreição aconteceu por parte do Pai. Mas Seu corpo era transformado, não era mais feito da mesma matéria de até antes de Sua morte e precisava que fosse assim, pois nesse momento Jesus já não estava mais preso ao tempo e espaço com um corpo meramente carnal (Lc 20.20;24-27; Lc 24.31; Jo 20.;19;26).
Ressuscitando fisicamente, o que pra muitos cientistas e espiritualistas isso não é possível, mas com Deus tudo é possível e tem um propósito, Seu corpo voltou a ter ligação com sua alma e espírito. Isso quer dizer que com Sua ressurreição foi possível Ele vencer a morte ( ICo 15.54).

. É pela ressurreição de Cristo que produzimos fé no Senhor (Rm 10.9).
A fé dos discípulos meio que “entrou em parafuso” depois da morte de Jesus, como podemos ver em Jo 20.19;25; Lc 24.21-22). Essa fé foi restabelecida quando Jesus ressurreto apareceu aos discípulos (Jo 20.8;20). Se Ele não tivese ressuscitado, ninguém acreditaria nEle com Filho de Deus (Rm 1.4; At 13.33) nem como juiz universal (At 17.31).

. O fundamento de nossa união com Cristo é a Sua ressurreição.
Nossa fé em Jesus não é somente um pensamento ou uma simples aceitação mental das coisas que lemos sobre Ele. Se formos racionalizar, não há como haver fé, pois a fé não se discerne emocionalmente. E é essa fé nos une a Ele. Paulo diz que toda nossa vida é “em Cristo” 164 vezes. O pecador só é abençoado pela obra de Cristo na cruz quando é unido a Ele, pela fé.

A Igreja, apesar de ser um organismo celestial também é um organismo humano e pra que Jesus fosse O cabeça da Igreja era necessário ser homem eternamente. Por isso a necessidade dEle possuir um corpo humano, de ter nascido como nós através de um parto. Quando o verbo se fez carne e habitou entre nós, Ele não trouxe conSigo a natureza humana, mas adquiriu a de Maria, sua mãe. Jesus descende de Abraão e Davi (MT 1.1); foi um judeu como qualquer outro: respeitava a Lei, foi circuncidado ao 8º dia, sentiu fome, sede, cansaço (MT 8.24;19.28), era limitado em seus conhecimentos (Mc 11.13;13.32), tinha sentimentos e emoções humanas (Mc 10.13-16;6.6;10.21;9.30; Mt11.25-26;26.38;11.20-21; Lc 24.19; Jo12.27;7.1;11.54); foi tentado como qualquer outro homem (Hb 4.15) e dependia de encorajamento do Pai pra suportar Sua humanidade (Mc 1.35; Jo 6.15), exatamente como nós precisamos. Quando foi gerado pelo Espírito Santo no ventre de Maria, Ele deixou de ser abstrato para ser concreto. E o fato dEle ter se tornado humano, além de continuar sendo a segunda pessoa da Trindade, foi que Ele pôde nos salvar. Se não tivesse ocorrido a ressurreição do Seu corpo, Ele teria deixado de ser humano. Hoje Ele é “homem do céu” (ICo 15.47), o Filho do Homem (Ap 1.13) e O cabeça de uma raça  redimida (Ef 1.22-23).

Jesus é central e essencial à fé cristã. O que separa a nossa fé das demais religiões é que todas as demais tiveram um fundador que poderia ter sido outro e baseiam seus ensinos em doutrinas humanas. Mas nenhuma religião é fundamentada numa Pessoa Viva como o cristianismo, pois o cristianismo é o próprio Cristo. E nenhum outro ensino religioso ou filosófico pôde salvar seus criadores do salário do pecado (Rm 6.23); somente Jesus tem esse poder. E se esses ensinos, por mais lógicos que humanamente possam parecer, não foram capazes de salvar seus idealizadores, quanto menos seus seguidores. Esse é mais um ‘detalhe’ a se considerar acerca das religiões existentes, pois foi a ressurreição de Cristo que fez e faz a grande diferença entre a fé cristã e a religião dos homens.

A Ressurreição de Jesus é a base de nossa ressurreição.
Se Jesus não tivesse ressuscitado fisicamente, não haveria como sermos ressuscitado futuramente (Rm 8.11; ITs 4.14). Ele é “a primazia” (ICo 15.20;23; Cl 1.18 ); Seu corpo de glória é o padrão dos nossos corpos no futuro que creio estar breve (Fp 3.20-21; ICo 15.48:49) .

Depois de Sua ressurreição e aparição, Jesus foi Exaltado (Fp 2.9-11).
Os homens do tempo de Jesus, inclusive os sacerdotes, o julgaram como criminoso e o desprezaram por Ele se declarar Deus e igualar-Se à divindade.
Podemos ver em Cristo todos os atributos morais e absolutos que vemos em Deus. Quando Deus fez o homem à Sua imagem e semelhança foi nesse sentido e não fisicamente.
Antes de vir ao mundo, Ele era Deus e não homem. Agora, depois da crucificação e ressurreição física, Ele é recebido e exaltado nos céus como homem e está à direita do Pai! (I Tm 3.16); Jesus é nosso Deus-homem. Ao ser exaltado recebeu de volta toda a glória como Deus (Jo 17.5); tem toda a divindade (Cl 2.9); Ele que antes havia declarado que só Deus poderia ser adorado (Mt 4.10), aceitou nossa adoração (Mt 14.33;15.9; Jo 20.28; Hb 1.6; Ap 5.8-14).

A volta de Jesus (Mt 24.30).
Essa é nossa esperança!
A volta do Senhor foi profetizada:
• Pelos profetas (Zc 14.3-5)
• Por João Batista (Lc 3.3-6)
• Pelo próprio Cristo (Jo 14.2-3)
• Pelos anjos (At 1.11)
• Pelos apóstolos (Tg 5.7; IPe 1.7;13; ITs 4.13-18)

A vinda de Cristo será:
• Pessoal e corporal (Jo 14.3; At 1.10-11)
• Visível (Ap 1.7; IJo 3.2-3)
• Real (ITs 4.16)
• De surpresa (Mt 24.42-44; ITs 5.1-3)

Os motivos pelos quais o Senhor voltará são para:
• Ressuscitar os mortos em Cristo (ITs 4.16; ICo 15.22-23)
• Transformar os vivos a imortalidade (ICo 15.51-53)
• Arrebatá-los p/encontrá-lo nos ares (ITs 4.17)
• Julgar e recompensar os santos (IICo 5:10; ICo 3.12-15)
• Casar com a noiva (Ap 19.7-9;21.2)
• Destruir o anti-cristo (IITs 2.8)
• Julgar as nações (Mt 25.31-33)
• Julgar a todos (IITm 4.1)
• Acorrentar satanás por mil anos (Ap 20.2-3)
• Estabelecer seu reino milenar (Ap 20.4-6)

RESUMO DA SÉRIE:

Todo o Antigo Testamento (AT) trata da preparação para o advento de Cristo. Jesus é, portanto, o cumprimento de todas as profecias e promessas contidas no AT. Jesus não era um homem no céu ou anjo e sim a segunda Pessoa da Trindade Divina que se encarnou com o único propósito de salvar a humanidade – que jazia no pecado desde a sua queda no Jardim do Éden – através de Sua morte na cruz. Mesmo se tornando homem, Ele continuou com os mesmos atributos que Seu Pai tem, pois manteve Sua natureza Divina. Alguns desses atributos são: Absolutos ==> imutabilidade, infinidade, imensidade, onipotência, onipresença, onisciência; Morais ==> amor, fidelidade, justiça, retidão, verdade e santidade. O Filho de Deus foi gerado totalmente de forma sobrenatural, no ventre de Maria, pelo Espírito Santo; já Seu nascimento se deu naturalmente, pois assim como qualquer outros ser humano, Ele foi dotado de um corpo físico, com seus próprios traços genealógicos e passou pelo que passamos: fome, sede, cansaço, sentimentos e emoções diversas. Por ter nascido sob o regume da Lei, foi circuncidado ao 8º dia depois do Seu nascimento e teve uma vida religiosa ativa, como era próprio dos judeus. Foi tentado, mas NUNCA sucumbiu ao pecado, permanecendo Perfeito e Santo, exatamente como Deus quer que voltemos a ser.

(Autoria do resumo: Sílvia Mª Rizzuto Rosa)

A única casa de Deus

“E disse-lhe: Toma estes utensílios, vai e leva-os ao templo que está em Jerusalém, e faze reedificar a casa de Deus, no seu lugar” (Esdras 5.15)

No Antigo Testamento apenas uma única casa foi chamada e casa de Deus: o templo de Jerusalém. No entanto, pela infidelidade do povo, o templo de Salomão foi destruído. Mas com a reconstrução do templo sob o governo de Zorobabel após o retorno do cativeiro babilônico, a Palavra de Deus fala de reedificar a casa “no seu lugar”. Deus reconheceu somente essa casa como Sua: o templo edificado escolhido por Ele mesmo (2 Crônicas 3.1). O Senhor Jesus também recoheceu o edifício, que em Seu tempo era o templo herodiano, como sendo a casa de Seu Pai.

Da mesma maneira, hoje existe somente uma casa de Deus. É a Igreja de Deus, o conjunto total de Seus redimidos, formada desde o Pentecostes. No tempo dos apóstolos, a Bíblia fala sobre os primeiros cristãos: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações” (Atos 2.42). Eles se encontravam para serem ensinados pela Palavra, para a comunhão, para celebrar a lembrança da morte do Senhor, e para orar. Temos feito isso? Se não, devemos ser encorajados pelos piedosos judeus mencionados no livro de Esdras que reedificaram a casa de Deus onde antes ela estava. Onde os cristãos se reúnem como Igreja, como o Novo Testamento nos instrui, há um testemunho visível da casa de Deus aqui no mundo.

(Extraído da Agenda Boa Semente 2010)


Sou cristã, apesar da igreja

[ Comentários para este post no cabeçalho acima clique onde diz Comments – Informo que copiei os comentários referentes à página IEQ, pois a mesma foi excluída. ]

Casa de Deus
Quando recebemos a Jesus como único Senhor e suficiente Salvador, devemos dar o passo seguinte que é buscar uma igreja idônea onde poderemos congregar com pessoas (que deveriam se tornar nossos irmãos, mas nem sempre isso acontece) que professam a mesma fé que nós abraçamos, pois é dessa forma que vamos amadurecer na fé cristã. Na época em que me converti (há 2 anos), visitei várias denominações e cada uma tinha uma coisa em particular que me agradava e outras que nem tanto. Depois de orar pedindo a orientação de Deus, Ele foi muito bom comigo e me levou a ser membro da Igreja do Evangelho Quadragular Sede em Mogi das Cruzes (SP), cidade onde morava. E foi lá que aprendi o que é ser cristã, o que é viver debaixo da graça de Deus.
Aprendi também a amar a igreja de Cristo e entenda-se por igreja o corpo de Cristo, você e eu que somos cristãos. Amo de verdade e respeito cada uma das pessoas abençoadas que Deus colocou em meu caminho, independe delas estarem na mesma igreja que eu ou não. Mas não endeuso ninguém, seja pastor, bispo, apóstolo, levita (ou cantor gospel, como preferir), missionário, diácono, obreiro ou somente um ‘crente de banco’, que não carrega qualquer título.

Deus tem me dado a consciência clara e correta de que devemos adorar somente à Ele e que Ele coloca essas pessoas pra nos guiar em Seu caminho, para aprendermos como ser (ou como não ser também, ihihih), a como desenvolvermos nossa fé; portanto o único que é digno de toda adoração é Ele e ponto final, por mais famoso que fulano seja, por mais seguidores que ciclano possua.

Sempre fui fiel aos meus princípios. Aprendi (relutei mas finalmente cri) que a Verdade está () na Palavra de Deus e é nela que me baseio pra tudo na vida; se por acaso ocorrer da igreja em que estou não estar 100% alicerçada na Palavra, não hesito em deixar a igreja e ficar com a Palavra. Quando não estamos em sintonia com a doutrina da denominação religiosa que frequentamos, temos o direito de procurar outra que seja mais de acordo com nossos ideais espirituais; é o melhor a fazer tanto pra nós mesmos como pra igreja em si. Por isso deixei de ser membro da igreja Quadrangular que frequentei por 10 meses aqui em Minas e resolvi, depois de muita, muita oração mesmo, retornar ao ministério onde nascei em Cristo: Ouvir e Crer. Por mais que amasse a igreja onde estava, a visão sob a qual fui gerada por Deus falou mais alto e mesmo sem estar participando fisicamente de uma igreja (templo) de junho pra cá, me sinto FELIZ e muito bem alimentada (diariamente) através da Bíblia, das palavras abençoadas que leio, ouço e assisto pela web que são desse meu ministério, além do apoio que os pastores me dão sempre que preciso.

O diferencial que há entre as demais religiões, seitas e filosofias e o cristianismo é que este não se baseia numa doutrina, mas numa Pessoa; e acontece uma enorme diferença na vida do ser humano entre se submeter a um conjunto de regras, ritos… à se refugiar em Alguém cujo Amor foi comprovado. Na verdade, nem tem como comparar o que é “seguir uma religião” ao ter um relacionamento íntimo e pessoal com o próprio Deus. Depois de muitas recusas, glória a Deus porque resolvi seguir meu coração e não minha mente carnal e não mudei de religião apenas, mas mudei de vida ao me encontrar com Jesus!

Esse blog visa o evangelismo; mostrar àqueles que ainda não optaram por mudar verdadeiramente de vida os motivos que me levaram a tomar essa decisão, a mais acertada em toda minha vida, sem dúvida alguma! E se diante disso, posso aconselhar algo a alguém, o faço com todo carinho: Não vire evangélico! Não mude de religião apenas! Converta-se à JESUS! A própria palavra já dá o sentido do que haverá contigo: conversão, mudança! Mas só é válida se for pra Cristo, não pra igreja tal, não pra doutrinas de homens… E tem diferença? você pode perguntar. Tem sim! Faz totalmente a diferença porque Jesus não é religião nem está em todas as religiões, como erroneamente se fala pelo mundo afora (tem também aquele outro ditado muito comum: “eu sou feliz, tenho Deus do meu jeito!” mas é a gente que tem de ser do jeito de Deus!!! :-); e placa de igreja não salva ninguém, só Jesus pagou o preço com Sua morte pra que a gente fosse abençoado com a reconciliação com o Pai! Mas pra receber isso você tem de reconhecer que é pecador e estar disposto a aceitar a Cristo como o único Senhor de sua vida e salvador particular!

A religião derruba o homem e o afasta de Deus. É verdade isso, não estou exagerando. Cristo levanta o homem e o traz pra mais perto de Deus! A religião melhora as pessoas, mas o Evangelho as transforma!!! E o Evangelho é uma possibilidade real de vida nova pra todo aquele que acredita e se permite experimentar isso!

Termino com um trecho da música “O Inimigo” do Dj Alpiste, que fala por sí só:

“Meu prazer é ver você destruído
Pois um dia do céu eu fui banido
A Terra agora é meu campo de batalha
Aqui minha mentira se espalha
Pois você é incrédulo e inseguro
Sua fé está sempre em cima do muro
Foi por isso que eu criei a religião
Pra você achar que todo pastor é ladrão
E o dinheiro que o povo dá na igreja
Você gasta bem melhor tomando cerveja
Sou capaz de tudo pra te afastar da luz
Pra que você nunca conheça a Jesus
Nunca aceite Seu sangue derramado
Nunca conheça o perdão do seu pecados
E por toda a vida vai ser sempre cego
Cultivando cada vez mais o seu ego
A menos que um dia conheça a Verdade
Vão chamar você de louco por toda cidade
Pensando bem é melhor ficar comigo
Muito prazer: eu sou seu inimigo.”
[ Comentários para este post no cabeçalho do início desta página clique onde diz Comments; Este outro campo igual abaixo é para comentários do post de julho. – AVISO: Só aprovarei comentários que tenham sido assinados e cujo email seja válido. Quem não se indentifica e ainda coloca uma conta de email que não existe, não merece crédito. ]